Praças se articulam

Soldados e cabos estão há 7 anos sem aumento

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Os cabos e soldados da Polícia Militar (PM) e do Corpo de Bombeiros (CB) de Mato Grosso estão há 7 anos sem aumento salarial e o presidente da Associação de Cabos e Soldados da PM e BM de MT – ACS-PMBM/MT, Laudicério Machado, tem buscado apoio junto a deputados estaduais para que cobrem do governador Mauro Mendes (DEM) a progressão salarial.

Na última semana, ele se reuniu com os deputados João Batista (Pros) e Janaína Riva (MDB), que garantiram apoio à demanda.

Janaína garantiu que levará a demanda para ser apresentada na Assembleia Legislativa, “para lutarmos juntos pela revisão da tabela salarial junto ao Governo”, finalizou a parlamentar.

De acordo com o presidente da ACS, “a preocupação é não somente solicitar o aumento, mas fundamentar isso de forma técnica para que o Legislativo possa sensibilizar o Executivo a nos valorizar não só na questão estrutural, mas sim a valorização no salário”.

Os estudos já vêm avançando e o advogado da Associação, Gustavo Lima Oliveira, conta que foi contratado um auditor contábil para realizar estudo analítico e evolutivo salarial de todas graduações e postos de Aluno Soldado ao Coronel, pois é primordial para um diálogo técnico junto ao Governo Estadual, tendo em vista o último aumento salarial real efetivado no ano de 2014, onde foi criado a Lei de Reestruturação Salarial (LEI COMPLEMENTAR Nº 541, DE 03 DE JULHO DE 2014).

“Há mais de 7 anos não ocorre progressão salarial, por isso previamente para realização de tratativas, é preciso correlacionar dados, a fim de constatar a perda salarial do servidor militar durante o período informado”, afirma Gustavo Oliveira.

A demanda é antiga, mas as articulações se intensificaram após a repercussão noticiada referente a priorização da correção das categorias dos Policiais Penais e do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT), onde os associados procuraram a ACS-PMBM/MT para que pudessem mediar junto ao executivo estadual e assim serem atendidos em suas necessidades.

Laudicério reconhece que o governador vem trazendo avanços na estrutura e condições de trabalho para o policial, como a entrega da Unidade Aérea da Segurança Pública o CIOPAER.

“Mas a plenitude se dará para o policial quando ele tiver a valorização salarial respeitada também. Pode até ser que o governador entenda que policial ganhe muito entre outros entendimentos, mas a verdade é que as especificidades são maiores e muitas vezes irreversíveis para a vida dele, pois é uma das únicas profissões que se tem a certeza que poderá nem voltar para casa vivo após o expediente, já que está de frente com a violência constantemente”, destaca o presidente da ACS

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPlano de Saúde: Unimed terá descontos diferenciados durante a Black Friday
Próximo artigoComércio da Capital está autorizado a funcionar neste sábado, Dia da Consciência Negra