Praça que gera medo na população deve se tornar espaço voltado para jovens

Emanuel deixa clara a intenção de tornar praça de Cuiabá em opção de vida noturna

(Foto: Divulgação)

Para desmistificar a imagem negativa e mudar o sentimento de medo ao andar de noite na Praça Senhor dos Passos (lugar que há 20 anos foi palco de uma chacina), o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), em artigo publicado nesta terça-feira (10), prometeu mudanças positivas para o centro. No texto, ele falou em transformar o espaço em ponto de entretenimento para jovens e família.

No artigo, Emanuel deixa clara a intenção de tornar o espaço uma opção de vida noturna. “Este ardor, que certa vez fez da região mais antiga da cidade a gruta cultural, tradicionalista e eufórica de Cuiabá, precisa retomar os tempos de outrora, fazendo da noite um deleite e não uma sombra que assusta e afugenta aqueles que diariamente pelo centro percorrem”.

O prefeito ainda discorre sobre o que mudaria na Praça Senhor dos Passos. “Os olhos do município estão voltados para essa matriz, o coração da capital. E aqui, assim como a Estação Alencastro e a Praça Ipiranga já anunciam, uma nova alvorada virá, onde a cidade não mais dissipará os seus, mas os abraçará com segurança, qualidade de vida e novas oportunidades”.

Ainda fazendo referência ao passado relacionado à chacina, Emanuel ressalta que vidas contribuíram para cada um dos 299 anos de Cuiabá. “É preciso saber onde estivemos para poder caminhar. Olhando para trás, vejo uma história calejada, permeada por sonhos que, ainda que em tempos difíceis, fizeram deste município um lar para tantos cuiabanos – nascidos ou por opção”.

Na publicação, Emanuel utiliza do trágico assassinato de três jovens, ocorrido duas décadas atrás, para falar o quanto ele, enquanto gestor público, valoriza cada pequena vida. “Pois muito mais que serem inesquecíveis, nós queremos imortalizá-los a partir do renascimento do berço da nossa cultura, permitindo que a alegria e o vigor pueril se tornem a marca do nosso Centro Histórico”. Em entrevista à imprensa o gestor de Cuiabá ainda disse: “como prefeito quis mostrar que não estou alheio aos trágicos momentos que marcaram nossa capital”.

CONFIRA NA ÍNTEGRA ARTIGO DO PREFEITO:

“Caminhar adiante não é um movimento solo, disperso e desvinculado. Olhar para frente sem saber suas origens torna a caminhada em vão. É preciso saber onde se estava, para compreender onde se quer chegar. Há 20 anos, três rostos da juventude perderam seu brilho, sufocados por uma tragédia sem precedentes e ainda sem explicação. Adileu Santos, Edgar Rodrigues e Reginaldo Dias Magalhães ficaram marcados na história da Capital pelo sangue injustamente derramado. Mas para a cuiabania, os meninos Baby, Indinho e Nado são a lembrança de uma pureza desperdiçada que jamais será esquecida.

Diariamente lembrados por um monumento doloroso que expressa saudade na Praça Senhor dos Passos, estes meninos são também a aflitiva memória que precisamos carregar como um povo. Eles me lembram, enquanto gestor público, o valor que cada pequena vida possui. Antagonicamente, ainda são um refrigério de que tempos melhores só se tornam reais quando a mudança se faz presente. E transformar a história do Beco do Candeeiro, palco desta terrível tragédia, está intimamente ligada ao compromisso de honrar o riso abafado destes garotos. Pois muito mais que serem inesquecíveis, nós queremos imortalizá-los a partir do renascimento do berço da nossa cultura, permitindo que a alegria e o vigor pueril se tornem a marca do nosso Centro Histórico.

A cuiabania reside em seus cantos, em suas antigas árvores frondosas que refrescam em dias quentes, em estruturas centenárias que refletem histórias inteiras. Este ardor, que certa vez fez da região mais antiga da cidade a gruta cultural, tradicionalista e eufórica de Cuiabá, precisa retomar os tempos de outrora, fazendo da noite um deleite e não uma sombra que assusta e afugenta aqueles que diariamente pelo centro percorrem. Para que mais crianças não venham a perecer à mercê das circunstâncias, para que famílias encontrem um novo reduto e para que os jovens façam dali uma nova morada do entretenimento local, os olhos do município estão voltados para essa matriz, o coração da Capital. E aqui, assim como a Estação Alencastro e a Praça Ipiranga já anunciam, uma nova alvorada virá, onde a cidade não mais dissipará os seus, mas os abraçará com segurança, qualidade de vida e novas oportunidades.

É preciso saber onde estivemos para poder caminhar. Olhando para trás, vejo uma história calejada, permeada por sonhos que, ainda que em tempos difíceis, fizeram deste município um lar para tantos cuiabanos – nascidos ou por opção. Em uma terra promissora, regada pelo ouro, outras riquezas aqui marcaram suas trajetórias. Vidas contribuíram para cada um desses 299 anos vividos até o dia de hoje e todas serão honradas, culminando em um novo que ultrapassará os limites sociais e territoriais que marcam as fronteiras locais. E a estes garotos – os nossos garotos, que olharam para Cuiabá com o riso fresco e imaginativo que só a juventude possui, nós dedicamos os próximos 300 anos e o Beco do Candeeiro. Não como ele está, mas como essa alvorada o transformará”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEmanuel Pinheiro se insere nas articulações e tenta manter MDB com Wellington
Próximo artigoCNJ abre investigação preliminar contra Favreto, Moro e Gebran Neto

O LIVRE ADS