Pouco dinheiro, muita criatividade: delegacias em MT são construídas pela comunidade

Delegacia de Terra Nova do Norte foi reformada; proposta agora é levantar outras duas do zero

Delegacias do Nortão - Antes e depois

Em meio à falta de estrutura, de efetivo policial e com a recente desativação de delegacias, promovida pelo governo do Estado, algumas unidades do Nortão de Mato Grosso estão recebendo o apoio da comunidade e de outros entes. No caso do município de Terra Nova do Norte (630 km de Cuiabá), a frente de trabalho popular foi pela reforma da delegacia da cidade.

A força-tarefa durou seis meses – de novembro de 2018 a abril de 2019 – e contou com a colaboração de policiais civis, Conselho Comunitário de Segurança Pública (Conseg) e da população. Foram instaladas grades nas janelas e portas, feita a reforma de muros, a revisão da instalação elétrica, a troca de tomadas e interruptores, a pintura interna e externa do prédio, entre outros.

“Primeiro eles conseguiram a mão de obra gratuita de um serralheiro para colocar as grades. Depois eles conseguiram a aquisição de um cofre para guardar objetos apreendidos. Aí o presidente do Conseg se animou, mobilizou a comunidade, que destinou recursos e apoiou a reforma”, contou o delegado regional de Guarantã do Norte, Geraldo Gezoni, ao LIVRE.

A iniciativa foi compartilhada pelo delegado nas redes sociais. Gezoni agora tem buscado o apoio de diversos entes para que as delegacias de Guarantã e Matupá (710 km e 690 km de Cuiabá, respectivamente) também contem com uma força-tarefa, mas neste caso um pouco mais ambiciosa: ao invés de permanecerem em prédios locados, que funcionem em terreno próprio.

Pelo menos Matupá já está mais próxima desta realidade. As obras para a nova delegacia estão a pleno vapor e contam com a participação, não só da Polícia Judiciária Civil (PJC), mas do Executivo Municipal, do Poder Judiciário e Ministério Público. A prefeitura doou o terreno e oito reeducandos da Cadeia de Pública de Peixoto de Azevedo já estão trabalhando na obra.

“No ano passado, nós conseguimos que o prefeito de Matupá fizesse a doação de um lote para servir como local onde será construída a nova delegacia da cidade. A atual delegacia funciona em um prédio do município, mas é muito pequeno e já está com a estrutura comprometida”, disse Gezoni.

Delegado regional, Geraldo Gezoni

Em 2018, o delegado responsável solicitou a doação de duas cargas de madeira apreendidas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). Neste ano, a Justiça sentenciou a doação para o Conseg, que leiloou as cargas e conseguiu obter o valor de quase R$ 64 mil.

Em posse dos recursos, ferramentas de trabalho foram adquiridas e logo um termo de cooperação com a Cadeia Pública de Peixoto de Azevedo foi firmado. Ele visa disponibilizar os reeducandos, que estão trabalhando com a mão de obra.

A iniciativa deu tão certo que Gezoni já se reuniu com as prefeituras de Guarantã e Peixoto para conseguir “repetir a dose” e passar as delegacias para sedes próprias. Em Guarantã do Norte, o prefeito já teria prometido recursos para que a obra seja viabilizada.

“O Ministério Público de Peixoto já sinalizou que deve ser parceiro na iniciativa e, apesar de serem só tratativas, estamos animados para o trabalho”, destacou Gezoni.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMinistério da Justiça prorroga presença da Força Nacional em Belém
Próximo artigoGlobo prepara reality show de gastronomia em formato inédito