Por unanimidade, TJMT “livra” Governo do Estado de emendas que ditavam regras ao orçamento

O pleno acatou uma ação proposta pelo governo pedindo a suspensão de Emendas Constitucionais

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Por unanimidade, o Pleno do Tribunal de Justiça do Estado “livrou”, na noite desta quinta-feira (13), o governador Pedro Taques (PSDB) de duas Emendas Constitucionais que entraram em vigor em 2015 e que ditavam regras ao orçamento.

Os magistrados acataram uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) proposta pelo governo pedindo a suspensão da eficácia das Emendas Constitucionais número 69 e 71, que criavam as chamadas emendas impositivas.

De autoria do deputado José Domingos Fraga (PSD), a Emenda 69 previa a obrigação do governo de aplicar 1% da receita corrente líquida do Estado de acordo com indicação de cada um dos 24 deputados estaduais.

Já a Emenda 71, de autoria do ex-deputado José Riva, estabelecia regras para execução da Lei Orçamentária Anual, cujo descumprimento implicaria em crime de responsabilidade.

Na ação, o governo argumentou que, ao instituir o chamado orçamento impositivo, a Assembleia Legislativa feriu a prerrogativa do Poder Executivo de iniciar projetos de lei ou emenda constitucional que disponham sobre matéria orçamentária, ressaltando que matéria restrita à iniciativa do Executivo não pode ser regulada por emenda constitucional de origem parlamentar, pois subtrai do governador do Estado a possibilidade de regular manifestação no processo legislativo.

Além disso, o Estado sustentou que as emendas representavam o interesse do Poder Legislativo em priorizar recursos às demandas das bases eleitorais de cada parlamentar. “O que elimina a margem de discricionariedade orçamentária que o Poder Executivo deve gozar para o pleno atendimento das políticas públicas de interesse da coletividade”.

Em seu voto, o desembargador-relator Guiomar Teodoro Borges argumentou que as emendas aprovadas pela Assembleia Legislativa são inconstitucionais por não estarem amparadas por uma Lei Federal.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEymael propõe Ministério da Família e financiamento integral de imóvel
Próximo artigoConfira a agenda desta sexta-feira dos candidatos ao governo de MT