Por que o Brasil é tão dependente das importações de fertilizantes

(Foto: Assessoria)

No Brasil, em 2021, 85% da produção agrícola depende do uso de fertilizantes agrícolas importados. Os resultados de um levantamento da Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda).

Das 45,8 milhões de toneladas utilizadas nas plantações brasileiras, 39,2 milhões vieram do exterior.

O Brasil é, atualmente, o quarto país no consumo de fertilizantes, representando 8% do consumo mundial. Por aqui, o insumo é responsável por cerca de metade da produtividade de uma safra agrícola.

Há melhora à vista?

De acordo com dados apresentados por Luiz Rangel, que representou o Ministério da Agricultura em recente debate na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), esse quadro de dependência externa deve se manter por um longo tempo. O Plano Nacional de Fertilizantes, apresentado recentemente pelo governo federal, prevê que a dependência das importações de fertilizantes diminuirá para 50% até 2050.

Guerra no Leste Europeu

A situação piorou em 2022 com sanções contra a Rússia, que responde por cerca de 23% das importações brasileiras de fertilizantes. As sanções também contribuíram para o aumento dos custos; segundo o Sr. Rangel, na prática, o Brasil não pode mais importar da Bielorrússia e as entregas da Rússia são muito mais lentas do que o normal.

Por que somos tão dependentes das importações de fertilizantes?

De acordo com o diretor executivo do Sindicato Nacional das Indústrias de Fertilizantes (Sinprifert), Bernardo Silva, o Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) eliminou os impostos de importação de fertilizantes em 1997. Isto desestimulou a produção interna.

Além da falta de incentivo e investimento, a desindustrialização também afetou a produção nacional do insumo.“Ao longo dos últimos 25 anos o Brasil adotou políticas públicas que subsidiaram a importação, enquanto onerava a produção nacional. Fertilizante importado paga zero de imposto de importação, pagava zero de IPI – imposto sobre produtos industrializados – até 31 de dezembro do ano passado. O produto nacional paga 8,4% de ICMS, paga impostos e todo custo que nos importados não tem.”

A forte dependência do Brasil por fertilizantes importados deixa sua economia vulnerável às flutuações do mercado global. Isso deve ser um alerta para que os políticos desenvolvam políticas que reduzam a dependência de fertilizantes importados.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVeículos seminovos e zero km mantém crescimento em vendas
Próximo artigoOperação Polygonum: Justiça recebe denúncias contra ex-secretário da Sema