Por que 1 em cada 5 empresas fecham as portas em menos de um ano de operação?

A lista de motivos já era longa e se tornou maior com a pandemia. Em MT, os mais vulneráveis são os pequenos empreendedores

(Foto: Rede social)

Uma em cada cinco empresas fecham as portas em menos de um ano de operação no país. A constatação é do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e as sócias Cristiane Celina da Conceição, 43 anos, e Evanice Araújo, 47, fazem parte dessa estatística.

A lista de motivos, segundo o Sebrae, é longa. Passa pela falta de preparo de muitos empreendedores que se arriscam no negócio por necessidade, mas inclui outros fatores. No caso das futuras ex-donas da Cafeteria Dom Cappuccino Cuiabá, reflexos da pandemia e até questões pessoais pesaram para a decisão de fechar as portas.

A um mês de completarem um ano à frente do estabelecimento, elas já têm uma decisão tomada: não podem mais arcar com os altos custos para manter a empresa.

11 meses de história

O aconchegante espaço da Dom Cappuccino Cuiabá foi aberto em 2017 e, desde então, está em sua quarta gestão. Cristiane e Evanice compraram o local em 2021 e dividiram todas as tarefas, da administração ao atendimento aos clientes.

“Os três primeiros meses foram de aprendizado, preparando as coisas, os produtos. Esperávamos que a partir dali começássemos a ter o lucro. Porém, esse momento não chegou”, conta Evanice.

(Foto: Rede social)

Elas reconhecem que cometeram alguns erros, mas também foram pegas pela pandemia. A cafeteria fica localizada ao lado de uma escola particular em Cuiabá e, durante o período em que as aulas se tornaram remotas, a dupla de sócia chegou a amargar dias sem que um cliente sequer entrasse no local.

LEIA TAMBÉM

O custo do aluguel – R$ 2.358 mensais – pesou. O sonho de reformar a fachada para chamar mais a atenção dos clientes foi ficando para depois. Até o ponto em que continuar comprando os alimentos que precisam para ter produtos para vender se tornou insustentável.

“Não tivemos capital de giro. Temos ainda os gastos com a comida de almoço, com os doces, além dos demais produtos que são frescos e adquirimos frequentemente”, comenta Cristiane.

Em meio a este cenário, as sócias decidiram que o melhor seria fechar as portas. O contrato de aluguel vence em 10 de abril e não será renovado.

“Às vezes é preciso dar um passo atrás para seguir em frente”, diz Cristiane.

Cristiane e Evanice se arriscaram em seu primeiro negócio há quase 11 meses (Foto: Rede social)

“Mortalidade” de empresas em MT

De acordo com o Sebrae, Mato Grosso possui uma “taxa de mortalidade” de 27% entre as empresas de pequeno porte com menos de 5 anos de atividade.

No universo dos pequenos negócios, os Microempreendedores Individuais (MEI) são os mais vulneráveis: 29% deles fecham as portas num período de 1 a 5 anos de funcionamento.

Para as Micro Empresas (ME) a taxa é de 21,6%; e as Empresas de Pequeno Porte (EPP) apresentam o menor índice, 17%, conforme os dados de 2021.

Numa tentativa de reduzir esses índices, o Sebrae oferece treinamento. Cristiane e Evanice chegaram a fazer consultorias, mas conciliar as aulas de empreendedorismo com a manutenção do próprio negócio se tornou inviável, porque ocorriam no mesmo horário comercial.

Como se preparar para abrir uma empresa

O primeiro passo, segundo Beatriz Jardim da Silva, analista de negócios do Sebrae-MT, é pesquisar muito sobre o ramo no qual se pretende empreender.

“Quanto mais a pessoa souber sobre as fraquezas, os pontos fortes, as dificuldades da atividade, melhor”, ela explica. “Precisa entender também quem é consumidor desse serviço, a sua exigência, o que ele procura”.

Além disso, é fundamental ter capital de giro e estar atento às particularidades de cada ramo: gestão de pessoas, manutenção de estoques, manuais e regras que precisam ser seguidas.

(Foto: Divulgação)

Quem quer seguir o caminho do próprio negócio pode contar o Radar Sebrae de Oportunidades, ferramenta de inteligência de mercado que auxilia o empreendedor com informação sobre a conjuntura de negócio. O sistema possui dados de regiões de todos os municípios de Mato Grosso, mostra o ambiente competitivo e dados sobre o púbico alvo do empreendimento.

Ele pode ser acessado gratuitamente e atua com três linhas:

  • quem tem uma ideia de negócio e precisa validar;
  • os que já tem um negócio e desejam expandir para outras regiões;
  • quem necessita ampliar a visão do ambiente de negócios que atua.

Os dados são trabalhados a partir de um olhar mercadológico, mais competitivo, apontando possíveis concorrentes, onde está o mercado consumidor.

O Radar trabalha com informações de cenário, empresariais e urbanas de cada um dos municípios, relevando oportunidades de negócios ao pequeno empreendedor através de atendimento digital gratuito.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorConfira a oração do Papa na Consagração da Rússia e da Ucrânia ao Imaculado Coração de Maria
Próximo artigoTroca na Casa Civil