Por falta de UTI, pacientes de MT com covid-19 são transferidos para outros estados

Após perder o pai para a covid-19, família teve que buscar vaga em outro estado para a mãe que também foi diagnosticada com a doença

Pacientes estão sendo transferidos de avião para outros Estados (Foto: Sete Táxi Aéreo)

Até o domingo (12), a taxa de ocupação de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) em Mato Grosso era de 98,1%. Isso significa que a tarefa de encontrar uma vaga para pacientes com covid-19 pode ser hercúlea ou até impossível.

De um lado a curva crescente dos casos, de outro a indisponibilidade de leitos. A solução é transferir os pacientes para outros estados.

A família de Lucas Monteiro esperou por uma vaga para o pai, que teve covid-19 e morreu sem ser internado em uma UTI. Até a semana passada, a Defensoria Pública de Mato Grosso entrou com 65 ações na Justiça solicitando leitos para pacientes com covid-19.

LEIA TAMBÉM

Para o pesquisador Diego Xavier, da Fiocruz, as ações na Justiça para garantir vaga a quem precisa não bastam.

“Seria adequado que em uma estratégia a nível de governo federal, alguns hospitais que estão se desmobilizando, como é o caso de Manaus, São Paulo e no Nordeste, que esses recursos pudessem ser emprestados para os estados do Sul e do Centro-Oeste, para estar atendendo essa população”, diz.

(Reprodução: Agência Brasil/Rahel Patrasso)

Luta por vaga

A saga da família de Lucas recomeçou quando a mãe dele também foi diagnosticada com a doença.

A mãe de Lucas é paciente renal crônica. Por causa da covid-19, 50% do pulmão estava comprometido. O quadro de saúde era considerado gravíssimo. “Não encontramos vaga para UTI e nem para nenhum tipo de leito na rede pública e privada em hospitais de Cuiabá”, conta.

Durante a procura pela vagas, a família descobriu que o plano de saúde cobria transferências aéreas. A nova tarefa era encontrar vaga em outro Estado. No esforço, amigos e parentes foram contactados.

A busca passou por estados como São Paulo e Mato Grosso do Sul. O leito disponível foi encontrado em João Pessoa, na Paraíba.

“Nós gastamos dois dias para conseguir a transferência, mas foi um esforço muito bem recompensado. Saber que foi ela foi levada para um hospital com estrutura e ver a recuperação foi recompensador”, diz.

Com a saúde ainda fragilizada, a paciente ela continua o tratamento no outro Estado. A família alugou um apartamento durante a estadia.

(Foto: Mayko Toscano/ Secom-MT)

Regulação via SUS

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), nenhum paciente com covid-19 foi transferido para outros estados via Central de Regulação de Urgência e Emergência Estadual.

Também não houve registro de transferências de outros Estados para Mato Grosso.

Por outro lado, o órgão registrou, até a semana passada, 15 mortes causadas por covid-19 de não residentes em Mato Grosso.

Os pacientes eram residentes de Andradina (SP), Araucária (PR), Belém (PA), Cacoal (RO), Cametá (PA), Catalão (GO), João Ramalho (SP), Novo Progresso (PA), Paranaguá (PA), Parauapebas (MA), Maranhão (cidade não identificada), Presidente Prudente (SP), Rio de Janeiro (RJ), Santarém (PA), São Domingos do Maranhão (MA) e Trairão (PA).

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorBarreira sanitárias: vigilância encaminhou cinco pessoas para centros de saúde
Próximo artigoNome sujo: Mato Grosso supera a média regional de inadimplência