Policiais trocam tiros com sequestradores de caminhoneiro e matam um deles

Outras sete pessoas foram presas por envolvimento no sequestro do caminhoneiro

Foto: Polícia Militar

Um suposto criminoso de 26 anos morreu nessa quarta-feira (27) após trocar tiros com a Polícia Militar na zona rural de Várzea Grande (região metropolitana de Cuiabá). Ele era um dos oito envolvidos no sequestro de um caminhoneiro de 38 anos.

O caso teve início após a PM ser acionada para averiguar a situação de uma carreta abandonada na região da Comunidade Sadia I, zona rural de Várzea Grande.

Uma equipe da PM foi até o local e encontrou uma carreta Iveco prata. A princípio, não foi encontrada nenhuma queixa de roubo ou furto da carreta.

Porém, quando os policiais entraram em contato com o dono do veículo, ele disse que não conseguia falar com o motorista e que ele possivelmente havia sido sequestrado, pois o rastreador havia perdido o sinal às 10 horas dessa quarta-feira (27).

Enquanto os militares tentavam falar com o proprietário, um homem de 31 anos passou pelo local e agiu de forma que os policiais acharam suspeita.

Ele foi revistado e nada de ilícito foi encontrado, mas, por fim, ele acabou confessando que estava no local para observar se estava tudo bem com a carreta e se a polícia estava por perto, pois havia levado três homens para buscá-la e eles estavam na entrada da comunidade Sadia I.

Os policiais, então, saíram em busca dos suspeitos, mas, a princípio, não localizaram ninguém. Pouco depois, porém, encontraram um suspeito de 24 anos, que disse que estava no local para comprar dois pneus de carreta por valor abaixo do de mercado. Ele foi preso.

A equipe seguiu para o local indicado pelo primeiro suspeito como o possível cativeiro do caminhoneiro, no Bairro São Simão, e foram informados que a vítima acabara de ser liberada e estava pedindo ajuda em um posto de combustível.

Na casa utilizada como cativeiro, os policiais encontraram dois suspeitos, de 24 e 38, sendo este último dono da residência, e eles confirmaram que haviam liberado a vítima na companhia de mais um suspeito, de 23 anos.

Os policiais foram até a casa desse suspeito de 23 anos e, na residência, foi encontrada uma pistola calibre 380, que foi utilizada no sequestro. Ele disse que a arma havia sido alugada de um homem de 31 anos, que também estaria envolvido no crime.

Os militares, então, foram até a casa deste e detiveram ele a esposa, de 23 anos. Na casa foram encontradas quatro munições calibre 380.

Confronto

Após as prisões, os policiais retornaram para a região da Comunidade Sadia I para encontrar mais suspeitos. Ao entrar em uma estrada vicinal, os policiais viram três homens saindo de uma região de mata e tentaram abordá-los.

Um deles reagiu atirando contra os policiais, que também atiraram e o acertaram. Com ele foi apreendido um revólver calibre 38 com duas munições deflagradas. Os outros dois acusados conseguiram fugir.

Como não conseguiam chamar socorro, os militares levaram o suspeito para o Pronto-Socorro de Várzea Grande na viatura. Ele, no entanto, não resistiu aos ferimentos e morreu.

Sequestro

A vítima contou que iria fazer um carregamento na Rodovia dos Imigrantes às 6h30. Porém, quando chegou no local, que havia marcado via aplicativo, foi rendido por um homem armado, que mais tarde foi reconhecido como o suspeito que morreu, e levado para um cativeiro.

Ele ficou em cárcere privado e sendo ameaçado o dia todo, sendo liberado somente a noite. Ele reconheceu o cativeiro como a casa de um dos suspeitos.

O caso foi registrado como roubo, sequestro e cárcere privado, formação de quadrilha ou bando e morte por intervenção de agente do Estado.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior250 voluntários de pesquisa estão imunizados desde dezembro em Cuiabá
Próximo artigoBrasil já vacinou mais de 1,2 milhão de pessoas contra a covid-19