Policiais salvam bebê que se afogou em piscina em Cuiabá

O menino foi entregue aos policiais já com a pele arroxeada, mas eles agiram rápido e o salvaram

A mãe, Gleycy Kellyng, abraçando Heitor após o susto (Foto: PMMT)

O início da tarde dessa Sexta-feira Santa (10) foi de muita emoção na base da Polícia Militar no Moinho, em Cuiabá. O pequeno Heitor Davi, de um ano e quatro meses, foi entregue nos braços dos policiais já quase sem vida, mas eles agiram rápido e o salvaram.

Era por volta de 14 horas quando o padrasto e o tio de Heitor entraram na base da PM pedindo ajuda com o bebê desacordado nos braços.

O menino havia se afogado na piscina da casa dele, no Bairro Jardim Imperial, em Cuiabá, e já estava com a pele arroxeada.

Em desespero, por acreditar que não daria tempo de esperar o socorro chegar em casa e nem de ir a um hospital, a família resolveu correr para a base da PM, onde encontraram o soldado Nilson Júnior Fernandes Souza e o sargento Antônio da Silva Neto.

“Pensei logo nos policiais da Base da PM aqui da região. Sabemos que podem prestar socorro e eu já tinha assistido reportagem que eles tinham salvado outras crianças”, relatou o padrasto de Heitor, Erinaldo Lino Targino.

Os policiais rapidamente pegaram o menino e realizaram os primeiros-socorros, conseguindo, com a manobra de heimlich, fazer com que o bebê expelisse a água e começasse a recuperar a consciência.

Em seguida, os militares colocaram o menino na viatura e o levaram até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Bairro Pascoal Ramos, onde o Heitor recebeu atendimento médico.

Os primeiros-socorros e a ação rápida dos policiais foram essenciais para salvar o bebê, que está bem, ficou sob observação no hospital acompanhado da mãe, Gleycy Kellyng, e deverá receber alta na manhã deste sábado (11).

“Estamos agradecidos, realmente eles salvaram a vida do Heitor Davi”, disse o padrasto.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSolidariedade na pandemia: fotógrafa ajuda comerciantes com fotos de graça para produtos
Próximo artigoCoronavírus pode levar 500 milhões de pessoas para a pobreza