Policiais fazem cota e doam celular a menina que não tinha como estudar online

Criança disse que estava tendo faltas e não conseguia acompanhar o conteúdo online por não ter por onde assistir as aulas

(Foto: Arquivo pessoal)

A pequena Maria Eduarda, de 11 anos, entrou na vida dos policiais da 13ª Companhia Independente de Polícia Militar, de Guarantã do Norte (705 km de Cuiabá), para trazer a todos uma linda lição de solidariedade.

Ela foi vista pelo soldado Jean Carlos no portão do quartel no dia 14 de maio bastante acanhada e vergonhosa. Curioso com a cena, o policial fez sinal para que a menina entrasse na companhia e foi de encontro a ela.

A criança contou que morava na Linha 60, localizada entre Guarantã do Norte e Matupá (680 km de Cuiabá), e que queria fazer um pedido aos policiais: pediu um celular para poder estudar online, porque sua família era bem carente e não tinha condições de comprar.

“Ela disse que necessitava desse aparelho para estudar, falando que estava tendo faltas e ela não estava conseguindo acompanhar o conteúdo que era passado pelos professores”, contou o soldado Jean Carlos ao LIVRE.

O policial ficou comovido com a história e com o pedido da menina e resolveu conversar com os demais militares do quartel e fazer uma cota para ajudar a pequena estudante.

Com o dinheiro em mãos, ele entrou em contato com um comerciante da cidade, foi até a loja e comprou um celular.

Pouco depois, Maria Eduarda voltou ao quartel e foi presenteada com o aparelho.

“Na hora que eu mostrei o celular, ela ficou comovida. E os outros policiais ali também, foi possível notar a comoção de todos. Inclusive ela me deu um abraço bem fervoroso, agradecendo muito, porque os pais dela não poderiam dar esse celular para ela”, disse o policial.

Segundo Jean Carlos, os pais de Maria Eduarda já são idosos e bastante humildes. Quando souberam do presente e conheceram o policial, agradeceram imensamente a ação dos militares.

O policial contou também que um dos motivos que o tocou para realizar a ação foi porque tem uma filha da mesma idade que Maria Eduarda. Além disso, ele acredita que uma ação como essa vinda da Policia Militar servirá de exemplo tanto para a menina quanto para a sociedade.

“A alegria nos olhos dela foi uma situação indescritível. Acredito que essa ação teve uma grande influência na vida dela. E a Polícia Militar está sempre aqui para o que der e vier, estamos sempre à disposição da sociedade de bem. Isso aí só enaltece nós como policiais, o amor que temos pela farda e pela corporação”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCarreata em prol da adoção acontece em Cuiabá neste domingo
Próximo artigoAdolescente procura delegacia após ficar 20 dias desaparecida