Polícia prende homem com dezenas de fotos de partes íntimas de mulheres

Segundo delegado que está investigando o caso, cerca de 50 mulheres foram fotografadas

Fotos tiradas pelo suspeito. A Polícia Judiciária Civil está tentando identificar as vítimas.

Um homem de 45 anos foi preso nessa quarta-feira (27), em São José do Rio Claro (300 km de Cuiabá) depois da descoberta de que ele tirava fotos de dezenas de mulheres nas ruas e estabelecimento da cidade, em maioria focadas nas partes íntimas das vítimas.

A prisão aconteceu em uma Casa Lotérica de São José do Rio Claro, depois que duas mulheres perceberam que o suspeito as estava fotografando. Elas acionaram a Polícia Militar, que foi até o local e ao verificar o celular do homem encontrou fotos não só das duas vítimas, como de outras dezenas de mulheres.

O delegado Marcelo Carvalho, que está à frente da investigação do caso, disse ao LIVRE que o suspeito já possuía diversas reclamações de violência contra a mulher e, inclusive, estava afastado de sua casa por agredir a companheira.

Depois de que o suspeito foi preso nessa quarta-feira (27), as polícias Militar e Civil perceberam que ele sempre tirava fotos mirando nos órgãos sexuais das mulheres.

“Ele via uma mulher que chamava atenção dele e tirava foto da bunda, dos seios. Nós já estamos levantando e identificamos diversas vítimas. São muitas mulheres, era uma tara mesmo desse cidadão, tem umas 50 mulheres”, afirmou o delegado Marcelo Carvalho.

Segundo Carvalho, as vítimas nem percebiam que estavam sendo fotografadas e as imagens eram tiradas em locais públicos, ou comércios, como supermercados.

O suspeito foi preso em flagrante e autuado por importunação sexual, crime previsto no artigo 215, uma lei recente, cuja pena vai de um a cinco anos de prisão. A Polícia Judiciária Civil espera, agora, conseguir manter a prisão e descobrir outras vítimas e possíveis outros crimes.

“O flagrante já é suficiente para mantê-lo preso, mas quanto mais vítimas conseguirmos identificar através das fotos tiradas por esse indivíduo, com certeza isso reforça mais a periculosidade dele. Porque a gente vai também investigar outros tipos de comportamentos que ele tenha, isso é o início da investigação”, afirmou o delegado Marcelo Carvalho.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSkol fará carnaval cuiabano (de graça!) com atração nacional
Próximo artigoGalvan: desempenho do PIB é frustrante e há risco de queda em 2019