Polícia interrompe festa de um dos líderes de uma facção criminosa

Nove pessoas foram presas em cumprimento a mandados judiciais por vários crimes, entre eles tráfico de drogas

Nove pessoas ligadas a uma facção criminosa foram presas nesta sexta-feira (09.07), pela Polícia Civil, em Rondonópolis, durante cumprimento de mandados judiciais em uma investigação da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (DERF) para apurar a atuação do grupo em diversos crimes praticados no município, entre eles, tráfico de drogas. Um dos presos é um dos principais líderes da facção criminosa na região sul do estado.

Sete homens e duas mulheres foram autuados em flagrante e vão responder por integrar organização criminosa, posse irregular de arma de fogo e munição de uso permitido, uso de documento falso corrupção de menores. Duas das prisões são decorrentes de mandados judiciais decretados pela 5a Vara Criminal de Rondonópolis.

As prisões foram efetuadas em uma residência na Rodovia do Peixe, onde os policiais civis flagraram diversas pessoas em uma festa regada a muita bebida alcoólica e narguilé. Três veículos foram apreendidos, além de armas de fogo, celulares, anotações sobre movimentação do tráfico de entorpecentes, cartões de crédito e joias.

A operação foi batizada de New Life em alusão às alegações de recomeço de uma nova vida pelo principal alvo da investigação.

Cumprimento dos mandados

A equipe da Derf cumpriu os mandados judiciais cujos alvos estavam em três diferentes endereços da cidade. Em um deles, o suspeito é investigado por tráfico de entorpecentes e de acordo com a apuração da Polícia Civil arrecadava o dinheiro da venda de drogas administrava a caixinha da taxa de segurança cobrada pela facção.

Ele costumava guardar o dinheiro das drogas em locais que não chamavam a atenção da polícia e ainda burlava o sistema da tornozeleira eletrônica que devia usar por determinação judicial, sem acusar rompimento do equipamento. Ele não foi encontrado em sua residência, mas, foi localizado durante em outras buscas na residência na Rodovia do Peixe.

Em uma casa no Residencial Magnólia, os investigadores da DERF prenderam um suspeito, que já tem passagens por tráfico, em posse de porções de entorpecentes, dinheiro, além de anotações fazem menção à venda de veículos, valores e especificações técnicas comumente utilizadas para aplicar golpes pela internet.

No terceiro local alvo das buscas, na Rodovia do Peixe, cuja investigação apontava como um ponto usado pela facção criminosa para guardar dinheiro do tráfico e promover reuniões de integrantes da organização, os policiais avistaram, logo na entrada, diversos veículos e um grupo realizando uma festa.

Durante a abordagem, alguns suspeitos tentaram fugir dos policiais. Na residência foram encontradas diversas garrafas de bebida alcoólica, entre cerveja e uísque, energéticos e narguilés.

O suspeito, alvo da primeira busca, foi encontrado no local e não portava a tornozeleira eletrônica. Adolescentes de diversas idades também participavam da festa.

Um dos suspeitos se identificou como dono da casa, contudo, os policiais o reconheceram como o investigado que é líder da facção e tem diversas passagens por crimes como receptação, posse irregular de arma de fogo de uso permitido, tráfico de drogas e associação ao tráfico. No quarto dele foi apreendida uma pistola calibre 9mm carregada, além de mais munições do mesmo calibre e carregadores de pistola calibre .380.

Nascer de novo

O investigado preso, de 41 anos, disse aos policiais que a intenção dele era nascer de novo, com uma ficha totalmente limpa que possibilitasse circular livremente e, para isso, utilizou documentos falsos, inclusive para abrir uma empresa de transportes. Com ele foi apreendido um veículo sedan de luxo, avaliado em aproximadamente R$ 190 mil, cujo documento está em nome de um policial militar.

Os investigadores encontraram um documento de identificação com nome de uma pessoa, mas a foto que constava no RG era do homem que se apresentou como proprietário da residência.

Em entrevista na DERF, ele argumentou que tirou um novo documento para ficar ‘limpo’ na praça, sem qualquer passagem criminal, viajar e montar uma empresa, sediada em Cuiabá e destinada a transportes rodoviários. A empresa foi aberta por ele com um CPF emitido em nome da mesma pessoa cujos dados constavam no RG.

Durante as buscas nessa casa na Rodovia do Peixe, a equipe da Derf identificou ainda um suspeito que estava com mandado de prisão em aberto decretado em outra operação deflagrada pela unidade especializada. Na época da operação ele conseguiu escapar e mantinha-se foragido até esta sexta-feira.

Em um dos veículos aprendidos na residência constava um adesivo utilizado para identificar quem é protegido pela facção e que o proprietário paga a ‘caixinha’ da organização.

Informações apuradas pelas equipes apontaram que as duas mulheres presas seriam as responsáveis por organizar a ida das menores de idade para participarem da festa.

A casa onde os suspeitos estavam possui piscina, todos os quartos com ar-condicionado e televisores e uma passarela que leva até a beira do rio, além de diversos eletrodomésticos.

(Da Assessoria da Polícia Civil)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAlergia mata: especialista alerta sobre a doença e suas reações
Próximo artigoSES avalia encurtar esquema de vacinação para 70 dias contra variante Delta