Polícia identifica jovem que se passava por policial no Instagram para quase 5 mil seguidores

Questionado, falso policial alegou ser um admirador da instituição e disse que não sabia que se tratava de crime

Foto: Tânia Rego/Agência Brasil - imagem ilustrativa

Um falso policial civil que ostentava um perfil na rede social Instagram com fotos de viaturas, brasão e outros símbolos relacionados à instituição foi identificado pela Polícia Civil e interrogado, na tarde de segunda-feira (31), na Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Informáticos (DRCI), em Cuiabá.

O perfil da rede social Instagram em que o investigado, de 29 anos, se apresenta como de Mato Grosso, signo de libra e policial civil, colocando o site oficial da instituição como referência, possui mais de 4,8 mil seguidores.

Em uma das fotos (a qual foi apagada, antes mesmo do interrogatório), o falso policial aparecia próximo a uma viatura com a legenda “Polícia Civil não para nunca”. Em outra foto, mostra a imagem de um computador com um distintivo policial com a legenda “A Polícia não para”.

Questionado sobre o motivo de ter uma página na rede social em que se intitula como policial civil, o jovem alegou ser um admirador da instituição e disse que não sabia que se tratava de crime e nem há quando tempo estava fazendo as postagens se passando por policial.

Em relação às fotos, o investigado disse não se lembrar como conseguiu algumas, mas confessou que  seguia perfis de alguns policiais, os quais não conhecia pessoalmente, porém, copiava e replicava as fotografias em seu perfil.

Segundo o delegado da DRCI, Ruy Guilherme Peral da Silva, além da questão da falsa identidade, o investigado também tem boletins de ocorrência registrados como suspeito de crimes de ameaça, apropriação, sequestro e cárcere privado.

“As investigações continuam para verificar se o suspeito não se valeu da falsa identidade de policial para cometer outros crimes”, disse o delegado.

O investigado responderá a Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) pelo crime de falsa identidade previsto no artigo 307 do Código Penal.

(Da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDeputado Max Russi assume o governo do Estado por um dia
Próximo artigo5G para além da covid-19