Polícia Federal detém 22 pessoas em MT por crimes eleitorais

As práticas mais comuns foram boca de urna e tumulto, mas uma pessoa foi presa tentando comprar votos

A Polícia Federal deteve 22 pessoas em Mato Grosso, neste domingo (15) de eleições, por crimes como boca de urna, tumulto eleitoral e violação de sigilo de voto. Uma foi presa acusada de corrupção – compra de votos – em Cuiabá.

Na ocasião da prisão, uma guarnição da Polícia Militar se deslocou a um posto de combustível, no bairro Parque Atalaia, na Capital, sob a denúncia de que estariam se formando filas para abastecimento. O combustível estaria sendo bancado por candidatos de Barão de Melgaço (77 km de Cuiabá).

Com a presença dos policiais, outros condutores fugiram do local, inclusive retirando os adesivos de propaganda política que estavam afixados em seus veículos.

Em Sinop (500 km de Cuiabá), nove pessoas foram detidas por propaganda de boca de urna.

Em Barra do Garças (115 km de Cuiabá), houve três detidos por boca de urna e violação de sigilo do voto.

Em Rondonópolis (220 km de Cuiabá), cinco pessoas foram detidas pelos crimes de boca de urna e corrupção eleitoral.

Outras cinco pessoas foram detidas em Cuiabá e Várzea Grande (região metropolitana) pelo cometimento dos crimes de tumulto eleitoral, boca de urna e corrupção eleitoral.

Exceto pela prisão na Capital, em todos os outros casos foram lavrados Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCOs), sendo os presos liberados após assumirem o compromisso de comparecimento em Juízo.

A PF ainda atuou com sobrevoos de drones em vários locais de votação pelo Estado.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEleição suplementar: veja quem será o novo senador por MT
Próximo artigoMudança na transmissão de dados atrasa divulgação de votos