Polícia encontra namorada de assassino de jornalista; nova versão é contada

Mulher era considerada pivô por morte e desmentiu assassino confesso

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Considerada peça fundamental para desvendar a morte do jornalista Marcelo Leite Ferraz, encontrado morto na segunda-feira (30), B.B.V foi encontrada pela Polícia Civil na tarde desta quinta-feira (3).

Em depoimento ao delegado Fausto Freitas, da Delegacia de Homicídio e Proteção a Pessoa (DHPP), ela negou parcialmente a versão contada pelo assassino confesso do jornalista, John Lennon da Silva, de 21 anos.

O acusado havia prestado depoimento na manhã de quarta-feira (2), quando foi localizado pela Polícia Militar. À Polícia Civil ele teria alegado motivação passional para o crime. Segundo contou, ele teria encontrado a namorada mantendo relações sexuais com o jornalista.

Contudo, segundo a mulher, a situação nunca teria acontecido.

Nova versão

Em depoimento, a mulher relatou que estava com John Lennon e outros usuários de droga próximos a Avenida Rubens de Mendonça, na região onde o crime aconteceu. Em dado momento, segundo B.B.V, o acusado saiu, vindo a retornar na companhia de Marcelo.

De lá, o grupo teria decidido ir até um terreno baldio, no bairro Bosque da Saúde. O local, segundo a Polícia Civil, seria o mesmo endereço onde Marcelo foi encontrado morto, dois dias depois de seu desaparecimento.

A mulher contou que teria se desentendido com o grupo e, por isso, deixou o espaço. Segundo ela, apenas Marcelo e John Lennon teriam ficado no terreno.

B.B.V ainda explicou que, naquela noite, se encontrou e brigou com o namorado mais algumas vezes.

Primeiro foi cerca de 20 minutos depois de deixar o terreno. Ela teria ido para uma casa abandonada da região, ponto de encontro dos usuários de drogas. Lá, se encontrado com John Lennon. De acordo com ela, ao chegar, ele dizia estar arrependido de algo que cometeu, sem dizer o que.

Depois o casal se desentendeu por drogas. Então, o namorado deixou a casa para ir buscar entorpecentes, vindo a retornar momentos depois. No entanto, uma “crise de ciúmes” e uma ameaça por parte de John Lennon a teria feito deixar o local definitivamente. À polícia, ela garantiu que essa foi a última vez que se encontrou com o namorado.

Divergências

A Polícia Civil destacou que há divergências nos depoimentos colhidos sobre o assassinato. Também garantiu que vai continuar com a investigação para obter provas do caso.

Atualmente, John Lennon encontra-se preso de forma preventiva, por determinação da Justiça. (Com assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMP do Agro: um divisor de águas do crédito rural brasileiro, diz ministra
Próximo artigoProdutor americano faz homenagem à irmã vítima de câncer e dá origem a campanha no Brasil

O LIVRE ADS