Polícia Civil prende acusado de matar empresária em Várzea Grande

Suspeito já teria confirmado o crime em troca de mensagens por WhatsApp

A Polícia Judiciária Civil, por meio da Delegacia Especializada Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), cumpriu nesta terça-feira (17), o mandado de prisão temporária contra Valdir Gomes de Lima, 48, apontado como autor do feminicídio da empresária, Maria Lúcia Lustosa Sabino, de 54 anos, ocorrido no último sábado (14), em Várzea Grande.

O crime ocorreu no apartamento da vítima no bairro Imperador em Várzea Grande. O corpo da empresária foi encontrado por um sobrinho da vítima que sentiu falta da tia e foi até o seu apartamento, ocasião em que teve que arrombar a porta para entrar.

De acordo com a Perícia, a empresária foi vítima de asfixia e estava sem vida há aproximadamente 10 horas. Desde o início das investigações, o principal suspeito do crime era o companheiro da vítima, que teria saído do apartamento dela por volta das 03 horas.

Durante os trabalhos, os policiais da DHPP receberam informações de que o suspeito também teria confessado o crime por meio de conversas pelo aplicativo WhatsApp. Com base nas informações, os policiais da DHPP realizaram diligências para localizar o suspeito, porém sem êxito.

Na segunda-feira (16), a delegada responsável pelas investigações, Eliane Moraes, ouviu testemunhas, para levantar elementos comprobatórios, com os quais representou pela prisão temporária do suspeito. Ao se apresentar na DHPP, nesta terça-feira (17), Valdir já estava com a ordem de prisão decretada pela Justiça, a qual foi devidamente cumprida.

Interrogado, o suspeito confessou o crime e disse que matou a vítima durante uma discussão. “Ele alegou que a vítima começou a xingá-lo, ocasião em que ele perdeu a cabeça e não viu o momento em que a enforcou”, contou Eliane Moraes.

(Com assessoria)

Leia também:

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAgora é lei: agressor de violência doméstica terá que arcar com custos do SUS
Próximo artigoMT fatura dinheiro da “Lava Jato”