Polícia Civil investiga fake news que derrubou site de vacinação em Cuiabá

A falsa divulgação provocou grande quantidade de acessos ao site no qual é realizado o agendamento da vacinação

Davi Valle

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Informáticos (DRCI), recebeu na tarde dessa quinta-feira (25), o boletim de ocorrência e ofício da Prefeitura Municipal de Cuiabá relatando a possível ocorrência de crimes cibernéticos, com a  divulgação de fake news, em relação as datas e a faixa etária para agendamento de aplicação de vacina para a covid-19.

O fato gerou aglomeração de pessoas no local de vacinação, atrapalhando a regular atividade de imunização da população cuiabana contra o vírus. A falsa divulgação também provocou grande quantidade de acessos ao site da Prefeitura Municipal, no qual é realizado o agendamento da vacinação.

O número teria ultrapassando a casa de um milhão de acessos na página da internet, fazendo com que o site fosse retirado do ar e ficasse indisponível por um período.

LEIA TAMBÉM

De acordo com o delegado da DRCI, Ruy Guilherme Peral da Silva, as investigações para apurar possível prática de crime cibernético já iniciaram e as providências preliminares foram tomadas.

“A Polícia Civil atuará fortemente no combate a toda e qualquer prática criminosa ocorrida no meio virtual, seja por meio de divulgação de fake news, seja pela prática de crimes cibernéticos próprios como invasão de dispositivos informáticos entre outros”, disse o delegado.

O delegado frisou ainda que o auxílio da população através de denúncias que tragam informações acerca dos possíveis suspeitos é fundamental para esclarecimento do crime em questão e de outros que tenham conhecimento.

A população pode usar os canais de denúncia da Polícia Civil, 197 ou 181, ou também registrar o boletim de ocorrência através do site da delegacia virutal (www.delegaciavirtual.mt.gov.br). A Delegacia de Crimes Cibernéticos também possuí os canais de denúncias que podem ser realizadas através do e-mail [email protected]r, ou pelo whatsapp (65) 99973-4429.

(Da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCuiabá e VG devem adotar medidas restritivas conjuntas por 10 dias
Próximo artigoMauro Mendes aponta falta de clareza na distribuição de vacina aos Estados