Polícia Civil deflagra operação em repressão a roubos, furtos e receptações

Em Mato Grosso, a Polícia Civil empregou um efetivo de 400 policiais no cumprimento de 89 prisões e 81 mandados de buscas e apreensões

(Foto: Polícia Civil)

Polícias civis dos 26 estados e do Distrito Federal deflagraram nesta quarta-feira (17) a Operação Voleur, de repressão a crimes contra o patrimônio, em especial à subtração de aparelhos celulares.

A operação é coordenada pelo Conselho Nacional dos Chefes de Polícia (CONCPC) e integra ações policiais desencadeadas em todos os estados para reprimir crimes de roubo, furto, receptação, com cumprimento de prisões e de buscas e apreensões.

Em Mato Grosso, a Polícia Civil empregou um efetivo de 400 policiais no cumprimento de 89 prisões e 81 mandados de buscas e apreensões, resultado de investigações que vem sendo coordenadas por delegacias especializadas e municipais em diferentes regiões do estado. Em uma das investigações, a Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Várzea Grande cumpriu 42 mandados de buscas, que resultaram na recuperação de dezenas de aparelhos celulares modelos smartphones furtados no município.

O delegado-geral da Polícia Civil de Mato Grosso, Mário Dermeval Aravéchia de Resende e vice-presidente do CONCPC, pontua que a operação sinaliza o esforço investigativo das polícias judiciárias estaduais na repressão aos crimes que impactam diretamente na sensação de segurança da população, como roubos e furtos.

“O Conselho dos Chefes de Polícia, por meio do Comitê Permanente de Análise e Repressão a Crimes Contra o Patrimônio, traçou essa operação com todos os estados para fazer frente a esses delitos e prestar contas sobre a repressão qualificada e resultados das investigações desenvolvidas pela Polícia Civil”, observa o delegado, que coordena a Operação Voleur.

A delegada Nadine Farias Anflor, presidente do Conselho Nacional dos Chefes de Polícia, pontua que a ação desencadeada pelas Polícias Civis demonstra o compromisso das instituições nos estados em fazer frente aos crimes que causam insegurança ao cidadão, especialmente aqueles hediondos.

“Desencadeamos essa operação para analisar e reprimir de forma qualificada, cada vez mais, os crimes de roubos, furtos, roubos e cargas e aqueles corriqueiros, que também tiram a paz do cidadão”, observou a chefe da Polícia Civil do Rio Grande do Sul.

O nome Voleur é uma referência a quem pratica crimes contra o patrimônio, roubando ou furtando para si o que não lhe pertence.

(Da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorO dedo na tomada
Próximo artigoIdoso de 70 anos é preso por matar gato de vizinha e criar arara e papagaio em gaiolas