Põe o lixo no baldinho: Ong cuiabana ensina como fazer adubo em casa

Técnica promove reaproveitamento de recursos naturais e ainda pode render uma bela horta caseira

Você acha que os resíduos orgânicos que coloca no lixo comum se transformam em adubo e não prejudicam o meio ambiente? Se a resposta é sim, sentimos lhe informar que está errado.

Diretor executivo da Ong Teoria Verde, Jean Peliciari explica que os materiais orgânicos, quando vão para o aterro sanitário, liberam gás metano, que é danoso à saúde. Caso inalado, pode causar parada cardíaca, asfixia e inconsciência, além de afetar o sistema nervoso central.

Isso sem contar que ele é inflamável. Um exemplo do “estrago” que ele pode causar foi o episódio ocorrido no morro do Bumba, no Rio de Janeiro.

Em 2010, após um deslizamento, o gás metano foi o causador de uma grande explosão. Deixou centenas de mortos, feridos e desabrigados. Antes de ser habitado, o local era um lixão.

E mais do que só produzir o gás, os resíduos orgânicos produzem o chorume, aquele  líquido resultado da decomposição do lixo, que também é tóxico.

Mas o que fazer?

A Teoria Verde está ensinando nas redes sociais como fazer uma “composteira” caseira. A parte boa – ou melhor ainda – é que ela reutiliza, além do lixo orgânico, garradas de 6 litros de água, que também iriam acabar no aterro sanitário.

Uma técnica muito simples que, em 20 dias, oferece um vaso altamente nutritivo para o cultivo de plantas e hortaliças. E, não precisa se preocupar, o processo não traz mau cheiro e nem atrai animais.

Para fazer, basta guardar todos os resíduos orgânicos de casa, como cascas de legumes, frutas, folhas e ovos. Em seguida, fazer furos no recipiente e intercalar os restos de comida com folha seca, serragem ou qualquer outro composto seco (veja os detalhes no vídeo).

Depois de passadas 4 semanas, o plantio pode ser realizado no mesmo recipiente, sem problemas.

Não quero fazer em casa

Para quem não quer ter o trabalho ou não se afeiçoa com as atividades de horta ou jardinagem, a Ong, junto com a empresa Origem, está disponibilizando baldinhos para a coleta do seu lixo.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Teoria Verde (@teoriaverde) em

A pessoa pagar R$ 40 e a cada 15 dias o material é coletado em casa. Vai direto para as composteiras da empresa.

Vale lembrar que a boa ação ainda rende brindes. A cada captação, o cliente é presenteado com um saco de material orgânico ou com uma muda de planta.

Peliciari explica que o projeto é inovador e um sucesso em Florianópolis e no Rio de Janeiro, onde ganhou o apelido de “revolução do baldinho”.

Nas cidades, a população se engajou e há apoio do poder público, uma vez que a empresa que administra o aterro sanitário ganha por peso de lixo coletado. E estamos falando de milhões.

Conforme dados da Prefeitura de Cuiabá, a cidade produz cerca de 700 toneladas por dia de lixo, sendo que muito pouco dele é reciclado.

“Quando damos a destinação correta e descartamos pouco lixo, economizamos o dinheiro dos cofres públicos e ainda garantimos que o recurso renovável não seja desperdiçado”, esclarece.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

  1. Eu não estendo por que não temos ainda coleta seletiva aqui em Cuiabá. E não venham me dizer, que já tem em alguns condomínios de luxo ou bairros nobres. Eu falo de coleta seletiva em toda a cidade, com campanhas de conscientização bem feita, séria, e mostre pra população o benefício que isso trás pra todos. Tenho certeza de que todo mundo vai colaborar.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPróximos das 200 mortes
Próximo artigoVai mesmo funcionar?

O LIVRE ADS