Pobreza menstrual: projeto que determina doação de absorventes será votado na próxima semana

Deputada Janaína Riva é coautora do projeto, que pretende atender meninas da rede pública de ensino

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

O assunto pobreza menstrual, que foi tema de uma ampla matéria no programa Fantástico, da Rede Globo, na noite desse domingo (2), já reverberou em terras mato-grossenses. A deputada Janaína Riva (MDB) logo tratou de aproveitar-se do momento para reforçar a importância do fornecimento de absorvente nas escolas públicas e ainda dar uma satisfação para seus eleitores sobre sua atuação diante do assunto.

A parlamentar é coautora de um projeto de lei que determina o fornecimento do produto em todas instituições de ensino públicas do Estado. Ela assina o texto, que irá pra a segunda votação na Assembleia Legislativa ainda esta semana, em parceria com o falecido deputado Silvio Fávero, que morreu em decorrência do covi-19 no começo do ano.

Segundo Janaína Riva, o projeto irá para a segunda votação ainda esta semana.

“Quero votar ainda esta semana. Muita gente não sabe, mas deputado Silvio Favero apresentou o projeto pela primeira vez em 2019. Aprovamos na Assembleia, mas o governador vetou na época e não conseguimos derrubar o veto. Antes de falecer, o Silvio reapresentou o projeto com algumas modificações e com a minha coautoria. Vou pedir para que seja colocado na pauta para votação ainda esta semana”, esclareceu.

A menstruação ainda é um tabu em vários ambientes e, na reportagem, foi abordado questões como o constrangimento e a falta de recursos de muitas meninas para comprar o absorvente. Por este motivo, algumas colocam miolo de pão na vagina, usam fraldas de pano ou simplesmente deixam de ir à escola por vergonha e medo que de vazamentos por não terem dinheiro pra comprar absorventes.

(Com informações Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

  1. O Assunto “Pobreza Menstrual “ontem, no Fantástico me deixou perplexa, nunca me detive sobre essa situação, estamos bitolados numa sociedade machista e cheia de tabus, esse projeto já era pra ter sido aprovado, vale a pena divulgar e conscientizar a sociedade, é uma situação de Saúde Pública!

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGefron recupera em média um carro por dia na região de fronteira
Próximo artigoCovid-19: vacinação reduz pela metade morte entre idosos com mais de 80 anos