Planejando a casa própria? Separamos sete dicas de como escolher o imóvel ideal

Um lugar seguro, aconchegante e bem localizado são fatores primordiais para a maioria dos brasileiros na hora de escolher a moradia

Realizar a mudança residencial e buscar pelo imóvel ideal para a família pode se tornar uma verdadeira aventura. São diversas opções no mercado e, em um primeiro momento, você pode ficar perdido em meio a tantas ofertas.

Mas, afinal, como escolher da melhor forma o imóvel perfeito para a sua família diante de tantas possibilidades? Para não acabar tomando uma decisão errada, é preciso estar atento a uma série de questões.

Sair do aluguel e partir para um imóvel próprio requer um estudo detalhado do orçamento, do número de pessoas que irão habitar a casa e tantos outros fatores.

Por isso, o LIVRE consultou a Ávida Construtora e Incorporadora e tirou algumas das dúvidas mais frequentes de quem planeja a casa própria.

Formas de comprar

Essa é uma das primeiras perguntas que devem ser levantadas. E a resposta ideal vai depender muito não apenas de suas condições financeiras, mas também de seu planejamento.

A compra de um imóvel pode ser feita de duas maneiras distintas. Uma delas é à vista, quando você dispõe de todo o valor necessários. Vale lembrar que não é apenas o custo do imóvel que precisa ser calculado. É preciso arcar com os custos burocráticos que também entram no pacote, como: certidão, documentação do imóvel, cartório, declarações e documentos de diversas entidades públicas e outros itens que podem exigir uma quantia expressiva.

Outra alternativa – e a mais viável para a maioria dos brasileiros – é o financiamento habitacional, que é o modelo utilizado quando você tem apenas parte do dinheiro ou uma pequena entrada, sendo que o banco deve dispor do restante, sob uma taxa de juros, e está sujeito a análise de crédito.

Aqui, é preciso fazer uma pesquisa a fundo para decidir qual é a melhor instituição em relação à taxa de juros e encargos cobrados, para poder realizar o melhor negócio possível.

São várias as vantagens de se optar pela compra de um imóvel e se livrar do aluguel. Como a residência é sua, você poderá realizar qualquer tipo de reforma sem a necessidade de comunicar a um possível proprietário.

Não existe a necessidade de se mudar ao final do contrato, ou correr o risco de o senhorio pedir o imóvel a qualquer tempo. O imóvel pode valorizar com o tempo, o que também conta para o seu patrimônio e como um investimento para o futuro.

Além disso, o banco exige uma série de documentos e também realiza uma avaliação in loco do imóvel, na qual um engenheiro é designado para verificar se o valor declarado para a compra condiz com a realidade do mercado.

Então vamos às dicas:

Como escolher o imóvel ideal para a família

É preciso estar atento para evitar problemas no futuro, como escolher um imóvel que não corresponda a todas as suas necessidades e de sua família. Para auxiliar você nessa jornada, criamos uma lista bem completa sobre os diversos pontos que você deve levar em consideração. São eles.

  1. Defina o que sua família precisa

O primeiro passo é definir o que sua família precisa em um imóvel hoje. São vários os itens que devem ser postos na balança na hora de buscar por um imóvel no mercado. Quantas pessoas realmente morarão na residência? Qual o número de banheiros necessários? E o tamanho da sala, cozinha e outros cômodos? O quarto principal precisa ser uma suíte?

Para decidir quais são as suas necessidades, é preciso verificar o tamanho e composição de sua família. Por exemplo, um jovem casal sem filhos pode contentar-se com uma residência de um quarto. Por outro lado, se está planejando a chegada de mais um integrante, é preciso dois quartos.

Já para quem tem filhos pequenos, pensar na infraestrutura é uma regra. Por exemplo, parquinho e brinquedoteca de um condomínio podem ser fatores relevantes.

Já para um casal com filhos adolescentes ou adultos, é preciso que cada um deles tenha seu próprio quarto na casa, pois já é necessário um grau maior de privacidade.

Antes mesmo de sair em busca de imóveis no mercado, é preciso que defina todos os pontos de necessidade de sua família, assim como também os desejáveis, que poderão ser utilizados para desempate quando você gostar de mais de uma opção.

Ou seja, é preciso pesar se o imóvel é bem localizado, se tem piscina e garagem, se a vizinhança é agradável, entre outros pontos que podem não ser essenciais, mas podem valorizar mais um imóvel do que outro.

LEIA TAMBÉM

Já pensou morar em uma vila grega? A Ávida pensou nisso pra você

  1. Escolha entre casa e apartamento

Escolher entre uma casa e um apartamento é um dos principais dilemas de quem vai se mudar e está buscando uma nova residência.

Esse é um daqueles casos clássicos de “gato ou cachorro”. Existem pessoas que amam uma opção e odeiam outra, e vice e versa. Cada opção tem suas vantagens e desvantagens, sendo que cabe a você decidir o que melhor se encaixa em suas necessidades.

Casa

Muitas pessoas só sentem privacidade de verdade quando moram em uma casa, na qual, dentro dos limites de seu terreno, elas são a lei. Afinal, pode-se fazer o que quiser sem se preocupar com regras de um condomínio — respeitando sempre os seus vizinhos, é claro.

Em um espaço como esse, você pode contar com um jardim e ser livre para criar um pet livre de qualquer problema, ou ter de ficar levando o animal de estimação para passear constantemente. Além disso, pode-se ter várias plantas e realizar qualquer tipo de benfeitoria dentro do espaço de sua propriedade.

Apartamento

O apartamento é uma das opções para quem busca privacidade e segurança. Dentro de um condomínio, você precisa preocupar-se apenas com o interior de sua propriedade, sendo que toda a manutenção do prédio é realizada por alguém contratado.

Já a proximidade com os vizinhos, os ruídos dos apartamentos ao lado ou de quem mora em cima podem ser algo incomodo se a busca é por privacidade e sossego.

Para quem tem pet, verifique as normas do condomínio. Nem todos aceitam animais.

  1. Não perca tempo

Uma das principais dicas que temos para você é não perder tempo. Afinal, ao realizar uma busca por imóveis, é comum a pessoa se deparar com diversas opções de todos os tipos e até ficar curiosa para realizar algumas visitas. Porém, caso o imóvel não tenha as características necessárias para a sua família, não adiantará visitá-lo, pois você apenas perderá seu tempo e, consequentemente, o do proprietário ou corretor.

Para que isso não aconteça, você pode iniciar uma lista de imóveis durante a sua busca com uma classificação que possa indicar o quanto o imóvel se encaixa em suas necessidades, levando em conta preço, localização e outras características.

Assim, poderá programar visitas apenas aos mais interessantes e mais bem classificados da sua lista, evitando perder tempo com imóveis que podem até parecer bacanas, mas que não vão suprir a sua demanda.

  1. Busque pelos defeitos

Não importa o que o proprietário ou o representante da imobiliária possa falar para você, nem todo imóvel é perfeito. Qualquer que seja a propriedade e onde ela esteja localizada, haverá problemas.

A pergunta aqui é: os problemas que o imóvel apresenta podem causar um incômodo que faça o negócio deixar de valer a pena? Caso a resposta seja sim, descarte aquela propriedade de suas buscas.

Ao realizar uma visita, você deve ficar atento a vários pontos para encontrar defeitos. Em alguns casos, pode ser até que você consiga algum desconto por conta de imperfeições.

Algumas coisas que podem incomodar em um imóvel são a proximidade com casas de show ou bares, ruas muito movimentadas, distância de pontos de ônibus, locais de difícil acesso, entre outros pontos.

  1. Tenha calma

Não se precipite na hora de escolher por um imóvel. O mercado oferece um leque de opções e vantagens, mas, como já alertamos, a escolha cautelosa irá te livrar de armadilhas e decisões impulsivas.

Analise sempre todas as suas opções com muita calma e, caso o proprietário ou corretor diga que já há outras pessoas interessadas, não se afobe. Muitas vezes é apenas uma jogada para que você feche o negócio. Caso o imóvel acabe saindo do mercado, não se preocupe, pois logo outro surgirá quee pode até mesmo atender melhor às suas expectativas do que o anterior.

  1. Faça um planejamento

Esse é um fator primordial. E dentro esse planejamento, começar a reserva de dinheiro é a primeira coisa a fazer; depois, calcular a entrada, estipular um preço máximo para a propriedade, prazos de mudança, reformas antes de mudar-se, entre outros fatores.

Isso evita que você acabe frustrado com sua tentativa de compra, ou passe por problemas após o fechamento do negócio. Por exemplo, reformar um cômodo da residência enquanto se está ocupando o espaço pode não ser uma boa ideia.

  1. Verifique a documentação necessária

Pode parecer trivial, mas a documentação é um dos principais empecilhos em um negócio imobiliário e, caso você não conte com qualquer um dos documentos necessários, pode ser que o negócio seja inviabilizado.

No caso da compra à vista, pode ser necessário apresentar uma série de documentos no cartório na hora de realizar a transferência do imóvel. Por conta disso, o ideal é entrar em contato com o local antes e buscar informações acerca de todas as exigências, pois isso evita a perda de tempo.

Já para a compra por meio de financiamento, cada instituição bancária mantém seu próprio processo de análise e, por conta disso, você deve procurar diretamente um atendente e entender quais são as exigências com relação à documentação de compra.

Como pesquisar o imóvel ideal para a família

Estamos em plena era da informação e todos os setores da economia já estão se adequando à transformação digital. Com o mercado imobiliário não é diferente. O processo de busca por um imóvel já não é mais o mesmo.

Há alguns anos, ao realizar o planejamento para comprar um apartamento ou uma casa, sua busca deveria ser feita em classificados no jornal e entrando em contato com o proprietário para fazer uma visita. Outra opção era visitar uma imobiliária e esperar que o corretor indicasse a você quais eram os imóveis que ele tinha disponíveis e que cumprissem as suas exigências.

Esse processo era muito lento e encontrar o imóvel ideal para a família poderia levar uma eternidade. Contudo, graças às novas tecnologias e à popularização da internet, hoje podemos escolher um imóvel em poucos cliques.

Existem sites especializados que disponibilizam uma plataforma intuitiva para que proprietários e imobiliárias possam publicar as suas ofertas e interessados em comprar ou alugar imóveis como você possam visualizar essas opções.

São várias as vantagens de se utilizar um portal como esse. Há muito mais alternativas, pode-se realizar a filtragem de todos os imóveis cadastrados de acordo com algumas opções, como preço, localização, número de quartos, entre outras.

Ou seja, você pode realizar a pesquisa pelo seu imóvel ideal independentemente de onde esteja, aproveitando sempre as melhores opções que possam surgir e garantindo a realização do melhor negócio.

Realizar a compra de um imóvel ideal para a família é uma verdadeira jornada e temos a certeza de que, caso você siga todas as dicas descritas neste post, poderá realizar um ótimo negócio e não se arrepender de sua escolha!

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorConheça os 5 problemas mais comuns que podem afetar a pele do bebê
Próximo artigoPesquisa determina quais os melhores países do mundo para se viver em 2020

O LIVRE ADS