Pix já desbancou o cartão de débito, aponta pesquisa

Só nos primeiros sete dias de funcionamento, o Pix já movimentou R$ 9,3 bilhões

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

Lançado recentemente pelo Banco Central, o Pix – novo serviço de transferência de valores entre contas – já é o segundo meio de pagamento preferido dos brasileiros. Fica atrás somente do cartão de crédito.

De acordo com um levantamento do banco BS2 com correntistas de todo o país, 24% dos entrevistados respondeu que o Pix é a melhor opção. O cartão de crédito foi a preferência de 25%.

O estudo, realizado entre 14 a e 26 de outubro com 2.010 pessoas de todos os Estados com 18 anos ou mais e conta aberta em alguma instituição financeira.

Na lista de meios de pagamento preferidos, o débito aparece em terceiro lugar (22%), seguido por dinheiro (16%), TED (10%) e DOC (3%).

Segundo o levantamento, 58% dos entrevistados indicaram que a agilidade em fazer pagamentos está entre as principais vantagens do Pix. Outra, apontada por 57% das pessoas, é a gratuidade nas transferências.

A comodidade de fazer a operação a qualquer hora do dia (54%), inclusive aos finais de semana (51%), e a praticidade do novo serviço (47%) são outros fatores que favorecem o uso do novo serviço.

De acordo com o Banco Central, nos primeiros sete dias de funcionamento, o Pix movimentou R$ 9,3 bilhões, em 12,2 milhões de transações realizadas.

Para Felipe Dellacqua, vice-presidente de vendas e sócio da VTEX, o Pix incentiva o pagamento à vista, ajudando no fluxo de caixa do lojista e reduzindo o endividamento do brasileiro.

“Empresas como Nubank, Pagseguro e Mercado Pago estiveram entre as que lideraram os cadastros do Pix. É uma transação segura e sem risco de fraude, fator hoje importante no comércio eletrônico, além de ser instantânea”, ele explica.

Segundo Felipe, o Pix tem força para substituir o boleto como meio de pagamento nos próximos meses.

A pesquisa realizada pelo BS2 revela ainda que a adesão dos consumidores ao Pix tende a crescer. O estudo mostrou que 73% dos bancarizados pretendem usar o Pix como forma de pagamento.

As classes A e B, que ganham acima de R$ 5.226 por mês, demonstraram a maior predisposição ao novo serviço. Entre esses, 80% responderam que “com certeza vou utilizar” ou “provavelmente vou utilizar”.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMEC determina volta às aulas presenciais do ensino superior a partir de janeiro
Próximo artigoJustiça libera imóveis vendidos por José Riva a casal de Juara