“Pint of Science”: festival propõe debater ciência na mesa do bar

Festival acontece em 24 países e o Brasil é o campeão de atividades; Cuiabá tem programação

(Foto: divulgação)

Um evento de circulação nacional chega a Cuiabá para mostrar que o bar pode, sim, ser lugar para discutir Ciência. De forma descontraída, sem jargões e com muita credibilidade, a 4ª edição do “Pint of Science” chega a Capital mato-grossense pela primeira vez nos dias 20, 21 e 22 de maio. O objetivo é simples: “derrubar intermediários entre o cientista e a sociedade, estabelecendo um canal direto de conversa”.

Neste ano, o festival acontece em 24 países e o Brasil é o campeão de atividades, em 87 municípios. Em Cuiabá, a programação que compartilha uma pequena parte das pesquisas realizadas no Estado, se divide entre a Cervejaria Louvada, na Avenida das Torres, e o bar Ditado Popular, na Praça Popular, simultaneamente,  das 19h às 21h30.

Os temas das atividades são os mais diversos. O primeiro encontro debate matemática no cotidiano, distopia e teoria da relatividade. Animais peçonhentos, exercício físico na cura do câncer e até a relação entre cerveja e inteligência artificial, também entram na pauta da estreia.

Já na segunda noite, a bebida preferida dos brasileiros será o centro das discussões que também trazem à tona o glúten e a memória. Fake News, entropia, tecnologia indígena, hipertensão e turismo, como forma de conservação de felinos na América do Sul, encerram a programação no terceiro dia.

O festival conta com uma equipe nacional de 10 organizadores, sete coordenadores regionais, além dos coordenadores dos municípios e de cada estabelecimento que recebe o festival. São voluntários, muitos estudantes de pós-graduação e cientistas das melhores universidades do país com o objetivo de explicar para a população como a Ciência funciona e suas novas descobertas.

Histórico

O “Pint of Science”, que ocorre anualmente em maio, chegou ao Brasil em 2015, como projeto piloto na cidade de São Carlos (SP) e logo conquistou pela forma descontraída com a qual explica a dinâmica das pesquisas. Em 2016, foram sete municípios; em 2017 o festival esteve em 22 cidades e em 2018, foram 56 participantes.

Criado em 2012, o festival é uma iniciativa de dois pesquisadores do Imperial College, que realizavam, em seus laboratórios, encontros sobre doenças neurodegenerativas. Michael Motskin e Pavreen Paul recebiam pacientes e pessoas interessadas em suas pesquisas.

Programação

DIA 1: 20 DE MAIO (SEGUNDA-FEIRA)

  • “Fibonacci mora ao lado (matemática no cotidiano)”, com Dr. Marcio Andrade Batista.
  • “Brincando nos campos da Memória”, com Dra. Thaís Leão Vieira.

Local: Cervejaria Louvada (Av. das Torres, 4511, Jardim Imperial II)

  • “Exercício físico regular como prevenção e tratamento não farmacológico do câncer: atualidades”, com Dr. Fabrício Azevedo Voltarelli
  • “Você sabe sobre cerveja, mas o que sua cerveja sabe sobre você? Big Data e Inteligência Artificial”, com Dr. Josiel Maimone de Figueiredo e Dra. Andreia Gentil Bonfante
  • “Não engula Sapos! E outras dicas sobre animais ‘Peçonhentos’”, com Dra. Christine Strüssmann

Local: Ditado Popular (Rua Sen. Vilas Bôas, 89, Popular)

DIA 2: 21 DE MAIO (TERÇA-FEIRA)

  • “O puro malte em tempo de diversidade”, com Dra. Priscila Becker
  • “Chamando os primos para a saideira: números primos e criptografia”, com Dr. Nielsen Cassiano Simões

Local: Cervejaria Louvada (Av. das Torres, 4511, Jardim Imperial II)

  • “Brincando nos campos da Memória”, com Dr. Marcus Silva da Cruz
  • “Quem é o glúten na fila do pão? Mitos e verdades da alergia a glúten”, com Dra. Gabriela Salvatte O. Segri

Local: Ditado Popular (Rua Sen. Vilas Bôas, 89, Popular)

DIA 2: 22 DE MAIO (QUARTA-FEIRA)

  • “Abaixo as verdades! (Pós-verdade e fake news)”, com Dr. Marcus Silva da Cruz
  • “Entropia na vida”, com Dr. Alberto Sebastião de Arruda

Local: Cervejaria Louvada (Av. das Torres, 4511, Jardim Imperial II)

  • “Tecnologia indígena em casas sustentáveis cuiabanas”, com Dr. Jose Afonso Botura Portocarrero
  • “De vilões para heróis: turismo como ferramenta para conservação de grandes felinos na América do Sul”, com Dr. Fernando Tortato

Local: Ditado Popular (Rua Sen. Vilas Bôas, 89, Popular)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorApós diagnóstico de leucemia da filha, pai organiza churrasco para ajudar Santa Casa
Próximo artigoO cuidado com o trabalhador