|domingo, 23 setembro 2018
Brasília - O ministro Blairo Maggi (Agricultura, Pecuária e Abastecimento), participa da cerimônia de lançamento do Plano Agrícola e Pecuário 2017/2018 (Beto Barata/PR)

PF tem 60 dias para concluir investigações de suposto repasse indevido a Maggi

A determinação é do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin

171
COMPARTILHECOMPARTILHE

Por decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, a Polícia Federal tem 60 dias, a partir desta quarta-feira (11), para concluir as investigações do inquérito que apura suposto repasse indevido de R$ 12 milhões da construtora Odebrecht para o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi (PP).

A determinação foi expedida pelo ministro na decisão que autorizou pedido da Procuradoria-Geral da República para realização de novas diligências no âmbito das investigações, tais como depoimentos, busca e apreensão e/ou prisão.

O ministro é um dos alvos dos pedidos de abertura de inquérito apresentados pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao STF com base nas delações de 78 executivos e ex-executivos da Odebrecht, investigada na Operação Lava-Jato, sob relatoria do ministro Edson Fachin. Segundo a delação, o repasse indevido teria ocorrido em 2006, quando Maggi era governador de Mato Grosso e candidato à reeleição.

“São relatados pagamentos na ordem de R$ 12 milhões a Blairo Maggi e R$ 400 mil a José Orcírio Miranda dos Santos, repasses implementados por meio do Setor de Operações Estruturadas do Grupo Odebrecht, sendo os beneficiários identificados no sistema “Drousys” como “Caldo” (Ministro Blairo Maggi) e “Pescador” (Deputado Federal “Zeca do PT”)”, diz trecho do inquérito, aberto no ano passado.

À época o ministro já havia negado qualquer envolvimento nas irregularidades. “Sem chance. Não tem a mínima chance. Nunca tive negócio com esses caras. Minha única relação com eles foi pagar pedágio na rodovia que eles construíram. Para mim, seria ótimo se tirasse o sigilo. Tão certo que não tem nada como amanhã é outro dia”, afirmou o ministro ao GLOBO.

Procurada pela reportagem do LIVRE nesta quarta-feira, a assessoria do ministro afirmou que ele não vai se pronunciar sobre a nova decisão.

Deixe um comentário

Please enter your name here
Please enter your comment!

DESTAQUES

Bairro Cuiabá História Municípios Policia
Final da Série C: falta de luz, defesas incríveis e público recorde marcam vitória do Operário
Chuva rápida com ventania causa estragos em Sinop
Duplicação de rodovia que inclui trincheira e viadutos no Distrito Industrial custou R$ 1 bilhão
Assembléia Legislativa Câmara Municipal Eleições 2018 Governo Judiciário Partidos Prefeitura
Chuva rápida com ventania causa estragos em Sinop
Gravação mostra pouso de emergência de avião de Nilson Leitão; veja vídeo
TCE realiza levantamento para ajudar prefeituras a aumentar arrecadação com IPTU
Agricultura Agropecuária Economia Agrícola Indicadores Agrícolas Pecuária Tecnologia Agrícola
Pecuaristas aderem a projeto sustentável e reforçam a importância da união da cadeia produtiva
Fiscais do Indea se preparam para atuar no vazio sanitário do algodoeiro
Safra recorde: produção de café em Mato Grosso é a maior da história
Artes Cênicas Artes Plásticas Artesanato Cinema Comportamento Cultura Popular Gastronomia LIteratura Música
“Dobradinha” Diego & Arnaldo e Israel Novaes lotam Musiva. Veja Fotos
Doceira investe em sobremesas tradicionais como pudim, pavê e bolinho de chuva
Produção cuiabana vence “melhor dos melhores” em premiação na Índia
Corrupção Economia Eleições Estados Política
Ciro Gomes relaciona porte de fuzil com tamanho de pênis dos jovens
Bolsonaro recebe alta de UTI semi-intensiva em hospital de São Paulo
Facebook anuncia medidas para combater contas falsas e desinformação
Concurso Dicas Estágio Vagas de Emprego no Mato Grosso
Sine oferece quase 50 vagas de emprego nesta semana; 22 são para PCDs
Última semana para inscrição em concursos com salários de até R$ 7 mil; veja vagas
McDonald’s oferece 20 oportunidades de trabalho em Cuiabá
X