Petrobras remove patrocínio de 13 projetos culturais

Sob nova direção

(Foto: Reprodução/O Livre)

A principal estatal do Brasil, a Petrobras, emitiu um comunicado informando que ao menos treze projetos não serão patrocinados neste ano.

Segundo a rádio CBN, a tradicional Mostra de Cinema de São Paulo , o Festival do Rio, o Anima Mundi e o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro são os principais eventos que serão afetados sobre a nova orientação

O produtor cultural Henrique Rocha, diretor geral do Festival de Brasília em 2017 e em 2018, diz que o corte enfraquece a produção dos eventos:

“O que eu imagino é que a gente vai ter um ano de míngua. A gente corre um risco muito grande de interromper projetos continuados, que têm uma longa tradição, que têm muita importância, que têm um público imenso e que podem, simplesmente, serem realizados ou de forma pífia ou nem serem viabilizados.” 

O fim dos contratos está ligado à orientação da nova diretoria, que já mandou revisar todos os programas de patrocínio. No documento, a Petrobras diz que o estudo ainda está em fase inicial. Numa audiência na Comissão de Cultura na semana passada, o gerente de patrocínios da empresa, Diego Pila, afirmou que a estatal só vai honrar os contratos vigentes:

“A gente não está fazendo nenhuma renovação de patrocínio de cultura e esporte, em qualquer área. A gente não teve nem que ter critérios para fazer o corte, foi geral. A gente tinha lançado uma seleção pública na área de música em dezembro do ano passado e esse é o único patrocínio novo que está sendo feito, tanto para cultura, como para esporte.”

No mundo da música perderem a verba os eventos Prêmio da Música BrasileiraCasa do Choro do Rio de Janeiro e o Clube do Choro de Brasília.

No teatro, a Petrobras também cortou o patrocínio do Teatro Poeira, no Rio de Janeiro, além do Festival Porto Alegre em Cena e do Festival de Curitiba, que receberam recursos pela última vez em 2017. O corte também atingiu o Festival de Cinema de Vitória, o CineArte, na Avenida Paulista e a Sessão Vitrine, um projeto que fazia a distribuição de filmes nacionais em cinemas de 21 cidades.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAdiar fechamento de lixões é desserviço, diz ministro do Meio Ambiente
Próximo artigoNovo bairro de Moscou será referência em sustentabilidade