Pessoas se aglomeram em frente à Caixa e Receita Federal para tentar receber auxílio

Contrariando regras de isolamento social, beneficiários chegam antes das 5h para conseguir atendimento

A filas são uma constante na frente das agências da Caixa Econômica Federal (CEF) e de lotéricas de Cuiabá desde o começo da pandemia do coronavírus, no mês passado. Mas elas se acentuaram nos últimos dias por conta do pagamento do auxílio emergencial anunciado pela União.

Na quinta-feira (9), trabalhadores informais e mães solteiras com as informações atualizadas no Cadastro Único passaram a receber o recurso destinado à assistência das famílias de baixa renda.

São R$ 600 por pessoa, sendo R$ 1,2 mil para mulheres chefes de família.

Em Cuiabá e Várzea Grande, nesta terça-feira (14), os beneficiários ainda tomavam conta da frente das agências. Nem mesmo o sol escaldante e o risco de contágio pelo novo coronavírus – dada a proximidade entre as pessoas – os afastou do local.

Como a entrada de clientes nas agência bancárias está restrita, houve aglomeração no lado externo.

As pessoas usavam máscaras para tentar se proteger, mas nem de longe era respeitado o distanciamento mínimo de 2 metros de um cidadão para outro.

Receita Federal

Na porta da Receita Federal, em Cuiabá, a fila também estava grande. Na terça-feira, as pessoas começaram a chegar por volta das 5h da manhã. Às 11h não haviam conseguido chegar sequer ao interior do prédio, que também funcionava com a limitação de entrada.

Para eles, a distância ao dinheiro é ainda maior. Todos têm algum tipo de pendência registrada no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) e não conseguem registrar o pedido do Auxílio Emergencial.

Quem ficou do lado de fora reclamava da falta de eficiência dos canais on line e também da central responsável pelo atendimento agendado.

Clique aqui e saiba mais sobre quem tem direito ao auxílio.

Na semana passada, o governo federal chegou a anunciar que haveria uma série de facilidades para a regularização do CPF.

No caso dos problemas eleitorais, eles seriam sanados compulsoriamente, sem o pagamento de multa de R$ 3 por pleito ausente.

Na manhã desta terça-feira, o governo também anunciou que os novos CPF começarão a ser feitos por e-mail e sem o pagamento da taxa, que é de R$ 7.

Porém, as demais pendências, caso não solucionadas nos canais digitais, ainda precisam da presença do contribuinte em uma unidade da Receita Federal.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorHá 108 anos história do Titanic passava de glória a tragédia: mais de 1500 pessoas morreram
Próximo artigoAfinal, com quem está o dinheiro que parou de circular por causa da crise?