Pesca recreativa pode injetar R$ 7,8 milhões na economia local

Além dos fatores econômicos, pesquisa aponta a importância d a prática para a preservação do rio

(Foto: UFMT/Divulgação)

Pesquisadores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) estimaram que a pesca recreativa em tablados, praticada na região do baixo Rio Cuiabá, introduz aproximadamente 7,8 milhões de reais na economia local durante o ano.

Os dados foram coletados com pescadores durante um final de semana na região. Os pesquisadores concluíram que, incluindo alimentação, bebida, transporte, apetrechos de pesca, iscas e outros, um pescador gastava, em média, R$ 175 para um dia de pesca.

Considerando as 174 plataformas para a pesca e a ocupação mínima (um pescador), seriam 1.392 pescadores ativos/mês. Já, se estiverem totalmente ocupadas (4 pessoas por plataforma), o número saltaria para 5.568 pescadores mensais.

Considerando esses números, a atividade de pesca recreativa estaria inserindo na economia entre R$ 1,9 milhão e R$ 7,8 milhões todo ano.

Estimativa baixa

De acordo com os pesquisadores, esse valor é uma estimação baixa. Pescadores que ficavam na região durante todo o final de semana, mesmo sendo em menor número (menos de 8% do total), deixavam para a economia, em média, R$4,7 mil por viagem, incluindo, neste caso, também a hospedagem.

O estudo aponta a importância dessa prática para a preservação do rio. “O serviço que o pescador procura só pode ser oferecido com rio em bom estado de conservação”, explica a UFMT.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

  1. Pesca em ceva é um crime decretado por lei, que deveria ter penas severas, comprovada que altera a vida e a desova dos peixes, sem trazer renda real e a destruição certa da natureza!

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMedicamentos vencidos no Centro de Distribuição retrocedem a 2016, diz secretária
Próximo artigoDia das Mães: roupas e acessórios devem ser presentes mais procurados