Pensando em abrir uma empresa? Saiba quanto o governo cobra de taxas

De acordo com o governo do Estado, Mato Grosso tem as menores taxas do Centro Oeste

(Foto: Energepic.com / Pexels)

Quem se aventurou a abrir um negócio nos últimos três anos não deu muita sorte. Ainda assim, empreender é um caminho para muita gente tentar driblar a crise. E Mato Grosso é um dos Estados do país onde as taxas para abrir uma empresa são as mais baixas.

Segundo informações do governo, no ranking nacional, Mato Grosso ocupa a quinta colocação. E quando comparados apenas os Estados da região Centro Oeste, é o primeiro lugar.

Quem quer abrir uma empresa por aqui precisa pagar o registro e certidão negativa simplificada, ambos emitidos pela Junta Comercial de Mato Grosso (Jucemat).

LEIA TAMBÉM

No caso do registro, o preço varia de acordo com tipo da empresa. Um empresário individual pagará R$ 105. Para empresas LTDA, o valor é de R$ 210. E as empresas S/A e cooperativas têm custo de R$ 406.

Já a certidão negativa simplificada custa somente R$ 17. É a segunda mais barata do Brasil, atrás apenas de Minas Gerais, que cobra R$ 12,82.

E a prefeitura?

Além do governo do Estado, as prefeituras fazem cobranças para quem pretende iniciar um negócio. Mas, neste caso, os valores não são fixos.

A Prefeitura de Cuiabá, por exemplo, cobra taxa de licença para funcionamento e taxa de licença para localização. O custo depende de onde a empresa está localizada na cidade, do tamanho do imóvel que ela ocupa e do tipo de atividade desenvolvida.

A taxa de localização varia de R$ 1,22 a R$ 2,46 por metro quadrado construído. O valor mais baixo é para empresas localizadas em zonas de expansão urbana, urbanizáveis ou rural. O mais caro é para as que estão dentro da zona urbana.

Já a taxa de licença para funcionamento varia também de acordo com o tipo de empresa.

Para comércios, indústrias, prestadores de serviço, entre outros, o valor cobrado por metro quadrado é de R$ 1,28 (zonas de expansão, urbanizáveis ou rurais) e R$ 2,16 (zona urbana).

Já os prestadores de serviços e profissionais autônomos pagam R$ 0,82 (zonas de expansão, urbanizáveis ou rurais) e R$ 1,69 (zona urbana).

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorFrigorífico terá que indenizar motorista boadeiro que ficou cego no trabalho
Próximo artigoSaneamento de qualidade, sustentabilidade na prática