Pedro Taques faz apelo a tucanos para que defendam o governo

Ednilson Aguiar/O Livre

Governador Pedro Taques durante coletiva da Seduc

Governador Pedro Taques

Em meio a uma crise política e de olho na campanha de reeleição em 2018, o governador Pedro Taques (PSDB) e outros líderes aliados aproveitaram o encontro estadual do PSDB, na noite de quinta-feira (25), para fazer um apelo aos tucanos: que defendam o governo estadual. Ao discursar, Taques admitiu erros e pediu que os aliados propaguem seus acertos à população.

“Só tenho um pedido: defendam o nosso governo. Mais nada”, discursou, para uma plateia lotada de aliados no Hotel Fazenda Mato Grosso. “Preciso fazer um pedido a todos vocês, militantes: nosso governo tem falhas, mas temos acertos e não estamos falando sobre eles. Busquem saber o que fazemos. Eu gosto de citar números”, disse o governador, antes de começar a discorrer sobre realizações da sua gestão.

Taques falou, também, que sente orgulho em ser tucano e que escolheu o partido por concordar com o conteúdo programático, como a redução do tamanho do Estado. Ele se filiou em 2015, depois de se eleger governador e iniciar o mandato no PDT. “Como governador, sou militante do PSDB. Fui convidado por 10 partidos e escolhi o PSDB”, afirmou.

O presidente regional da sigla, o deputado federal Nilson Leitão, afirmou que o partido tem o papel de mostrar a realidade do governo e cobrou que todos compartilhem a culpa pelas falhas da gestão.

“O partido tem que saber que temos erros, sim. Os erros do governo Pedro Taques são os erros de cada um de nós, filiados e militantes. Não podemos apontar o dedo como se a culpa fosse terceirizada. O PSDB é um partido que tem que se orgulhar do seu governo, dos seus erros e dos seus acertos, olhando para frente”, discursou.

O dirigente tucano afirmou que é preciso saber reconhecer falhas e dar um passo atrás. “Reconhecer se erramos como partido, se erramos como governo”, disse. Leitão comparou o partido a uma família e disse que é preciso defender os familiares quando um erra. Ele pediu união para o projeto de reeleição de Taques.

O senador Jayme Campos (DEM) foi outro que cobrou apoio da militância tucana e criticou duramente a falta de companheirismo de aliados. “O que precisamos é que o partido e o grupo levem o nome do governador Pedro Taques”, afirmou.

“Não adianta ele ralar o dia inteiro, levantar às 5h e parar à meia-noite, se os companheiros não defenderem o cidadão. Diz que é meu companheiro, meu aliado, e não defende meu nome? Fica na moita ou quer fazer política meia-boca. Não queremos companheiros que usam as benesses do governo e depois vazam”, criticou.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEmanuel Pinheiro diz que flagra em vídeo é “deturpado”
Próximo artigo“Dinheiro recebido por Luciane era pagamento de dívida”, diz Oscar

O LIVRE ADS