Pedro e o Lobo de Prokofiev é destaque no concerto de setembro da CirandaMundo

O concerto da série Araguaia traz como solista o trombonista Nemuew Wylk

A Orquestra Sinfônica CirandaMundo segue firme com a Temporada 2018, em comemoração ao 15° aniversário do Instituto Ciranda. Em setembro, dia 05 (quarta-feira), às 20h no Teatro do Cerrado Zulmira Canavarros, o concerto da série Araguaia traz como solista o trombonista Nemuew Wylk.

No repertório, a Orquestra Sinfônica CirandaMundo, sob a batuta do maestro Murilo Alves, exibe a “Abertura em Sol Menor” de Anton Bruckner e “Concertino para Trombone” de Ferdinand David.

“O concertino para trombone de Ferdinand David sempre foi e sempre será um grande desafio para os trombonistas do mundo todo. Escrita em 1837, a obra dividida em três movimentos, tem nível técnico muito acentuado tanto para o solista quanto para a orquestra. Poder interpretar esse concertino junto à Orquestra CirandaMundo está sendo a realização de um sonho”, revela Nemuew.

Reservada para o encerramento da apresentação, uma das mais espirituosas criações do russo Sergei Prokofiev, a fábula musical “Pedro e o Lobo”, espetáculo que inclui, além da orquestra, a narração de Emanuelle Guedes.

“Pedro e o Lobo”, escrita em 1936, mistura música e literatura e tem como uma de suas principais características, o caráter didático, trazendo para cada personagem da história, um instrumento correspondente. Assim, as cordas correspondem a Pedro; as trompas, o lobo; flautas, pássaros; oboé, pato; clarinete, gato; e tímpanos, caçadores.

“Pedro e o Lobo é uma daquelas obras inesquecíveis e tem muito a ver com o Instituto Ciranda, por seu caráter didático. Por isso, vale dizer que a influência e direcionamento dado no Instituto Ciranda foi fundamental para o meu desenvolvimento e aprendizado enquanto músico. Sou eternamente grato ao Instituto Ciranda por me oferecer as ferramentas necessárias e me proporcionar experiências únicas”, relata Nemuew.

Nemuew faz parte do Instituto Ciranda desde os 15 anos, começou como aluno e hoje integra o quadro de professores. “Foi lá que tive os primeiros direcionamentos na música e as melhores experiência como trombonista. Na última década, tive o prazer de tocar ao lado de músicos consagrados no cenário musical brasileiro e dividir o palco com o grande trompetista Nailson Simões. Aos 19 anos iniciei no Rio de Janeiro o Bacharelado em Trombone no Conservatório Brasileiro de Música – CBM- CÉU. Sobre as minhas conquistas no meio musical, o Ciranda sempre teve participação decisiva”, conclui.

Mais informações: 65 3623-1239

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorIncêndio no Museu Nacional foi controlado por volta das 3h da manhã
Próximo artigoJovem encontra a ex-esposa em boate, cobra satisfação e a esfaqueia