Pediatras denunciam falta de medicamento no Pronto-Socorro de Cuiabá; prefeitura nega

(Foto: Divulgação)

A equipe que atua na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Pediátrica denunciou, nesta terça-feira (04), a falta de materiais básicos e medicamentos no Hospital e Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá (HPSMC). De acordo com documento remetido à direção da unidade, faltam desde luvas, seringas e gaze, até papel toalha e sabão para lavar as mãos.

O Sindicato dos Médicos do Estado de Mato Grosso (Sindimed-MT) já tomou conhecimento da situação e está adotando medidas para cobrar explicações e coibir a recorrente ausência de insumos na unidade.

“É um absurdo faltar até sabão para higienização das mãos. Isso aumenta o risco de infecção hospitalar. Não podemos admitir essa situação”, criticou Adeildo Lucena, diretor de Comunicação do Sindicato.

Em comunicado interno direcionado às diretorias Clínica e Técnica, assim como ao Plantão Administrativo e Farmácia Central, a equipe cobra a disponibilização, em caráter emergencial, desses e de outros materiais e medicamentos considerados básicos para atendimento às crianças e adolescentes.

Outro lado

Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Saúde assegurou que a denúncia é infundada e encaminhou fotos e documentos contrapondo a acusação dos pediatras.

Em relação à denúncia de que estão faltando materiais básicos no Pronto Socorro, a Secretaria Municipal de Saúde informa:
-Estas denúncias são infundadas. O Centro de Distribuição de medicamentos e Insumos de Cuiabá – CDMIC tem feito entregas de materiais quase diariamente no Pronto Socorro.
-A Secretaria Municipal de Saúde abriu uma sindicância para sindicância para descobrir os responsáveis pelas falsas denúncias.

Veja o documento enviado pela equipe de pediatras à Secretaria Municipal de Saúde:

Confira os documentos encaminhados pela Secretaria Municipal de Saúde ao LIVRE:

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorBrasil busca cooperação com China e Japão para desenvolver tecnologia no campo
Próximo artigoMapa aprova plano que deve ampliar a área de produção florestal em 2 mi de hectares