Pecuária: bem-estar animal eleva ganho de peso dos bovinos

A prática envolve cuidados com a alimentação, ambiente e a preocupação com a saúde física e mental do rebanho

Com mais de 30 milhões de cabeça de gado, Mato Grosso é o Estado que mais produz carne do Brasil. Para alcançar o feito, nos últimos anos, os criadores aumentaram sua capacidade produtiva com a inserção de novas tecnologias, sem precisar abrir novos pastos. Além disso, uma série de medidas foram tomadas para auxiliar o trabalho no campo, entre elas, a preocupação com o bem-estar animal.

A prática oferta uma boa qualidade de vida aos animais envolve os cuidados com a alimentação, ambiente em que é criado, além da preocupação com a saúde física e mental do rebanho.

Leia também:
Dinepec destaca modernização e desenvolvimento da pecuária de corte

Confira quem passou pelo 1° Dia de Negócios da Pecuária

Sem esses cuidados os animais não conseguem ter um desempenho tão bom quanto poderiam. Por isso, “esse ‘Modelo dos Cinco Domínios’ deve ser adotado pelos pecuaristas do Estado”, destaca a zootecnista da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Mikaelly Sales Frois.

Sales conta que soluções simples podem aumentar a produtividade dos animais. Uma boa sombra é uma delas. Um animal exposto ao sol o dia todo fica estressado e não come a quantidade que deveria, causando redução no ganho de peso.

Na sombra o animal fica em conforto térmico e não vai ter gasto energético como teria se estivesse exposto ao sol. Dessa forma, ele pode ganhar até 10 kg no fim do ciclo, algo em torno de 100g por dia.

A quantidade necessária de alimento é o que justifica o ganho de peso. “Ele não gastará sua energia para se manter, mas vai gastar para a produção”, afirma.

A zootecnista lembrou ainda que um animal mal alimentado, que tem pouca água para beber, exposto a altas temperaturas e com ferimentos, terá grande parte da carcaça descartada ao serem levados para a indústria, devido à baixa qualidade da carne.

Mikaelly ainda disse que os produtores devem ficar atentos ao tamanho do espaço em que o rebanho fica, pois, com muitos animais no mesmo lugar a capacidade produtiva diminui. A disputa por um espaço no cocho (lugar que o rebanho come a ração), exposição a altas temperaturas, poeira e lama são sinais de problemas. Essas situações causam estresse e resultam na redução do ganho do peso.

Dinepec

A palestra foi apresentada durante o 1º Dia de Negócios da Pecuária, realizado nesta quinta e sexta, no Parque de Exposições Jonas Pinheiro (Acrimat), em Cuiabá. O objetivo do evento é discutir estratégias para o fomento do desenvolvimento e modernização da pecuária Mato-grossense.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorProjeto de revitalização do Centro Histórico sugere a venda do “espaço aéreo” das casas
Próximo artigoDesculpas aos cuiabanos

O LIVRE ADS