Paulo Guedes diz que pandemia atrapalhou planos do Governo

Segundo o ministro, o governo teria planos para "mudar" o Brasil em 15 semanas, mas a pandemia mudou o planejamento

O ministro da Economia, Paulo Guedes, participa do lançamento da nova linha de crédito imobiliário com taxa fixa da Caixa Econômica Federal - Antonio Cruz/Agência Brasil

Em uma coletiva de imprensa em que apresentou um balanço das atividades de 2020, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que tinha um plano para “mudar o país” em 15 semanas. Mas isso, antes de a pandemia acontecer.

Segundo o ministro, o governo Bolsonaro já estava alinhado com Rodrigo Maia para dar andamento às pautas, mas a pandemia acabou atrasando o cronograma.

“Isso foi combinado com o presidente da Câmara e Senado. Estávamos todos alinhados. Nos deram um cronograma de 15 semanas, tempo para mudar o país, antes que entrássemos nas eleições municipais. Estávamos em um perfeito alinhamento, o presidente Bolsonaro já tinha atravessado a Esplanada comigo, entregamos aos dois presidentes a PEC do Pacto Federativo. Isso em um ano que a economia já estava decolando. Em dois meses, cresceu acima do esperado. Crédito subindo em dois dígitos, arrecadação também”, afirmou Paulo Guedes.

Ainda de acordo com o ministro, a panemia foi responsável pela mudança de agenda do governo e, de um modo geral, acabou prejudicando o planejamento estabelecido por ele e Bolsonaro.

“Mudamos imediatamente a nossa agenda de reformas estruturais para medidas emergenciais. Mudança de 180 graus. Nossa principal batalha era combater os principais gastos do governo. Quando chegou o coronavírus, imediatamente, no dia em que foi anunciada a pandemia, fui ao Congresso com o ministro da Saúde. Ainda lá, conseguimos R$ 5 bilhões imediatamente para o combate ao coronavírus”, concluiu Paulo Guedes.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCuiabá é a 10ª melhor cidade do país para o comércio, aponta pesquisa
Próximo artigoLampard faz campanha por volta de torcedores aos estádios em 2021