Pastagem: qualidade da forragem amplia produtividade do rebanho

Brachiaria híbrida Mavuno é superior em resistência e valor nutricional; produto será apresentado no 1º Mega Curso Capataz e Gerente em Pecuária, em Cuiabá (MT)

A qualidade da forragem tem ganhado importância cada vez mais estratégica na pecuária por sua relação direta com a produtividade do rebanho, seja ele de corte ou leite. Rusticidade, produção de massa verde e alto teor nutricional são fatores essenciais para a engorda do animal e estão intimamente relacionados à escolha da brachiaria.

Desenvolvida para pastos de alta produtividade, a brachiaria híbrida Mavuno vem conquistando cada vez mais espaço nas fazendas brasileiras, tendo registrado um crescimento de vendas de 82% na safra 2021/2022 em comparação à safra anterior.

“Mavuno é fruto do cruzamento de diferentes linhagens. Foram 18 anos de pesquisa até chegarmos aos resultados atuais. Tanto em áreas de estudo controladas como em pastos comerciais de clientes monitorados por nossa equipe de campo, Mavuno apresentou até 21% de proteína bruta e produção de massa verde até 50% superior as brachiarias convencionais como a Marandu”, explica Edson de Castro Júnior, coordenador técnico na Wolf Sementes.

As áreas de pastagem constituem a base da alimentação de aproximadamente 200 milhões de cabeças de gado, conforme dados do IBGE. Na pecuária de corte, 100% das categorias de animais das fases de cria e recria e 90% da fase de engorda são alimentadas em sistemas de pastagens, de acordo com o zootecnista Adilson de Paula Almeida Aguiar. E os ganhos de produtividade estão diretamente ligados à melhor qualidade das pastagens cultivadas e não apenas ao tamanho da área ocupada pela forragem.

Um dos pontos fortes da brachiaria híbrida Mavuno, que asseguram a resistência e rentabilidade em comparação às brachiarias convencionais, é seu sistema radicular (raiz) que, a depender do tipo de solo, pode chegar a até quatro metros de profundidade.

“É muito bom ter uma gramínea com raiz profunda, porque quanto maior a área de raiz, maior a área que a planta terá para absorver água e nutrientes do solo, gerando assim mais tolerância”, aponta o zootecnista João Gonçalves Neto, citando também os elevados índices de proteína e digestibilidade apresentados por esta forrageira.

Evento

A brachiaria híbrida Mavuno será apresentada aos pecuaristas durante o 1º Mega Curso Capataz e Gerente em Pecuária, que acontece nos dias 29 e 30 de junho e 1º de Julho no Hotel Fazenda Mato Grosso, em Cuiabá. Além de nutrição e pastagem, o evento inclui palestras sobre manejo, controle zootécnico, administração rural e genética, entre outros temas.

(Com informações da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorLei do ICMS menor para combustíveis já está em vigor: qual será o impacto?
Próximo artigoProcura por teste de covid-19 na rede privada de MT aumenta 307% e número de positivações dobra