Parcial a favor de Cattani

Três membros já votaram pela extinção do processo sobre infidelidade partidária iniciada pelo terceiro suplente

Três membros do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT) votaram pela extinção do processo sobre suposta infidelidade partidária do deputado estadual Gilberto Cattani (PSL). 

O julgamento teve início nesta quarta-feira (14) e foi suspenso por pedido de vista.

Antes disso, o juiz Armando Biancardini Candia, relator do caso, votou pela extinção. Ele seguiu o parecer do Ministério Público Eleitoral, que destacou que o cargo continua no PSL (Partido Social Liberal). 

O voto dele foi seguido pelos membros Bruno D’Oliveira e Nilza Maria Pôssas de Carvalho. 

A ação é movida pelo terceiro suplente, Emílio Populo, na chapa que elegeu Silvio Fávero, morto em 2020, como candidato titular ao mandato em 2018. Populo questiona a nomeação de Cattani a deputado estadual, mesmo após ele ter saído do partido, em 2018, e depois retornado.  

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCovid-19: Centro de Triagem na Arena Pantanal será fechado nesta sexta-feira
Próximo artigoGoverno de MT libera visitas em predídios a partir do dia 23