Para serviço não parar, governo decide contratar médicos do Samu

Após a equipe médica do Samu anunciar demissão coletiva por atraso salarial, o governo anunciou a contratação dos profissionais, até então terceirizados

Depois de ser esfaqueada, vítima correu em busca de socorro (Foto: Reprodução)

Após a equipe médica do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) anunciar demissão coletiva em virtude de atraso salarial, o Governo do Estado decidiu contratar todos os profissionais, até então terceirizados, diretamente pela secretaria.

O secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, declarou que o Executivo e os médicos entraram em acordo após reunião realizada nesta sexta-feira (11). Ele ressaltou ainda que a contratação é emergencial e assegurou que os serviços serão imediatamente retomados.

Na segunda-feira (7), os cerca de 60 médicos que compõe a equipe do Samu da Baixada Cuiabana redigiram uma carta aberta que classificaram como um desabafo e um “pedido de socorro”. Os profissionais, que prestavam servido para empresa PróClin até dezembro do ano passado, denunciaram um atraso salarial superior a seis meses e uma situação indigna de trabalho.

Na quinta-feira (10), a secretaria firmou contrato com a empresa Med Security Serviços Médicos EPP, para gerir os serviços em caráter emergencial.

Comunicada do fim do contrato, a PróClin se manifestou, por meio de nota, nesta sexta-feira. A empresa ressaltou que não responde mais pelos serviços e que irá efetuar os pagamentos dos salários em atraso conforme o governo concretizar os repasses pendentes.

Veja a nota na íntegra:

A PróClin vem a público comunicar as seguintes informações em relação ao contrato mantido pela empresa com o Estado para o Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência):

1) Na última quinta-feira, 10 de janeiro, a direção da empresa foi comunicada pelo secretário de Saúde de Mato Grosso, Gilberto Figueiredo, da finalização do contrato nesta data;

2) Embora o contrato tivesse vencido no último dia 31 de dezembro, como não havia sido informada do fim da prestação de serviços de RH médico para o Samu, a PróClin manteve sob sua responsabilidade os plantões, uma vez que se trata de serviço essencial  para a população;

3) No mesmo encontro, o secretário sinalizou que em breve fará o pagamento relativo aos meses de outubro, novembro e dezembro de 2018, além dos valores referentes aos 10 dias de janeiro;

4) Desta forma, é importante deixar claro que a empresa não responde mais por este serviço;

5) O pagamento aos médicos dos plantões em aberto será feito conforme houver o pagamento das parcelas vencidas por parte da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT);

6) Por fim, a empresa agradece a todos os profissionais que integraram o corpo médico do Samu pela parceria ao longo dos últimos meses.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

  1. Atenção gestores , este é um trabalho sério de muita responsabilidade e dedicação, requer atenção qualificada quanto a não de obra deste profissionais que não mede esforços para cada ocorrência arriscando suas próprias vidas , aprenda dar valor porque é muito difícil encontrar profissionais qualificados, que presta seus serviços com muito amor através de uma linha telefônica .fica a dica formaturas e formados existem só aposto no dom e domínio.de cada um porque todos nós profissionais do samu 192 trabalhamos por amor a profissão e a vida do próximo.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGoverno estuda enviar proposta única de reforma da Previdência
Próximo artigoGoverno Mauro pretende passar quatro anos negociando com servidores