Para não errar na harmonização facial

Já sentiu frustação ao fazer algum procedimento estético diante de um resultado insatisfatório?

Essa resposta deveria ser negativa, e se isso não ocorreu, é importante saber que é possível evitar esse imenso desconforto. Afinal, quem procura por procedimentos estéticos, ainda mais na face, que é o principal cartão de visita, não pode correr riscos.
Não existe receita milagrosa, existe técnica, ciência para que o procedimento lhe trará plena satisfação, como tem ser.

Primeiro, antes mesmo de definir qual mudança ou procedimento deseja, escolha criteriosamente o profissional. Afirmo que ele é 95% responsável pelo resultado, o restante fica a critério do bom gosto, bom senso e cuidados do paciente. Mas, como saber se o profissional é competente? Hoje o universo digital ajuda muito nessa investigação. Se tornou mais fácil saber a rotina, resultados, reputação, estrutura e indicações da clínica ou consultório. Aprofunde-se nisso, do mesmo jeito que se pode pesquisar pela internet referências do profissional, como artigos, reportagens e até mesmo a gama dele de conhecimento e capacitações.

Ao avançar nesse quesito vai perceber as imensas diferenças oferecidas hoje no mercado da beleza. Aposte em quem revelar ter expertise, bagagem e claro, talento.
A estrutura do local também precisa ser levada em consideração, principalmente no aspecto de biossegurança, higienização e conforto, tenha a certeza, o profissional que emprega em sua clínica medidas mais severas de controle biológico e utilização de produtos de qualidade aprovados pela ANVISA de fato, se preocupa com o seu resultado.
E claro, na consulta de avaliação a definição pode ocorrer, você terá a certeza, se poderá ou não confiar no resultado. Certifique-se quais produtos serão utilizados, eles podem ser a diferença entre procedimentos com efeitos de curta ou longa duração, por exemplo. Pergunte a respeito.

Desconfie quando o profissional não o aconselha a mudar de ideia, quando aceita todas as sugestões de mudanças, como lábios enormes, sobrancelhas arqueadas ao extremo, preenchimentos pesados demais, que nem permitem mais expressões naturais; não que o paciente jamais tenha razão, nada disso, mas o profissional precisa antes de concordar com os procedimentos, avaliar métricas e estruturas da face.

Sim, a harmonização facial é uma arte, mas também é matemática. Ou seja, o equilíbrio perfeito dessas somatórias é o que define entre sair pleno do consultório ou insatisfeito. Não erre e permita-se sempre investir em buscar a sua melhor versão e claro, um novo você.

Nayara Cerutti, odontóloga com atuação em harmonização orofacial.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorTJMT retoma atendimento presencial; confira a relação de Comarcas
Próximo artigoPfizer entrega outras 629 mil doses de vacina ao Ministério da Saúde