Para evitar suicídios, vereadores querem chamar o Portão do Inferno de “Portal Paraíso”

Entre os argumentos está o de que “para o cristão é mais confortável mostrar o Portal do Paraíso”

Mirante do Portão do Inferno. A foto é de Ednilson Aguiar, do LIVRE

Vereadores de Cuiabá e Chapada dos Guimarães estão empenhados em um projeto que consideram muito importante. Eles querem mudar o nome de um dos pontos de visitação turística mais frequentado entre as duas cidades.

De acordo com a proposta, o enigmático Portão do Inferno passaria a ser chamado de  Portal do Paraíso.

“Clamores populares” – especialmente apelos cristãos – e casos de suicídio registrados no local seriam alguns dos motivos para o engajamento pela troca.

O Portão do Inferno é oficialmente chamado assim desde 1998, quando o então prefeito de Chapada dos Guimarães, Sebastião Treme Terra, sancionou a lei de autoria do vereador Manequinho (in memorian).

Presidente da Câmara de Cuiabá, o vereador Misael Galvão (PSB) argumenta que a mobilização traduz “a visão que temos de fazer política como missão e vocação”.

Já o vereador chapadense Carlinhos (PT) cita a “carga negativa” e o estigma que acredita estar sedimentado nas rochas.

Segundo os parlamentares, o despenhadeiro teria ganhado o nome com os bandeirantes, que identificavam como inferno o que se localizava para baixo, enquanto aquilo que estivesse para cima, relacionavam com o céu.

“Tanto que um pouco adiante do tal portão existe uma formação rochosa a qual deram o nome de Dedo de Deus, pois aponta para cima”, destacou Carlinhos.

Outro vereador de Chapada, Fidélis (PSC), acredita que a mudança do nome trará bons fluídos ao local e, consequentemente, atrairá mais turistas. Vale ressaltar, há um projeto de revitalização do Portão do Interno que ainda não saiu do papel.

“Para o cristão é mais confortável mostrar o Portal do Paraíso ao contrário do Portão do Inferno”, disse o representante do setor evangélico. Agora, junto aos outros vereadores, ele tem um objetivo: massificar o nome Portal do Paraíso até que o local seja assim reconhecido.

Conscientes de que a mudança pode levar anos para ocorrer, os vereadores salientaram que precisam trabalhar em ações para massificar o novo nome. A comissão é formada por mais oito vereadores engajados na missão.

Eles prometem para breve uma sessão solene em Chapada dos Guimarães para promover o debate e conquistar apoio da população. Aí entram representantes de igrejas, do segmento cultural, educacional e pesquisadores.

Outro lado

A Câmara Municipal de Chapada dos Guimarães, divulgou nota esclarecendo que a reunião realizada no dia 30 de julho na Câmara de Cuiabá, foi um pedido do presidente da Casa Legislativa Cuiabana Misael Galvão, que levantou cumprimento da Lei 839/98, de propositura do já falecido vereador Manequinho, que foi aprovada e sancionada em 1998 pelo prefeito da época Sebastião Treme Terra.

“Esta Casa, antes de qualquer decisão sobre a mudança do nome do atrativo turístico “Portão do Inferno”, ouvirá a população. E para isto, realizará uma consulta pública”, disse a Câmara em nota.

(Com assessoria)

Leia também

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS