Papai Noel leva presentes, plantas e esperança a bairro carente de Cuiabá

O LIVRE foi um dos parceiros do Natal Solidário, evento do Iteec Brasil que está em sua quarta edição

Foto: Isabella Suzuki / O Livre

Eram por volta das 8h30 da manhã quando o Papai Noel Valteir Vieira Cabral, 58 anos, e a Mamãe Noel Solange dos Santos, 40 anos, chegaram ao Bairro Parque Geórgia, em Cuiabá, com seus 50 duendes voluntários, trazendo presentes, cachorro-quente, roupas, máscaras, mudas de plantas, alegria e esperança para crianças e suas famílias.

Aos poucos, o campinho do bairro foi se enchendo de crianças, pais e avós, felizes por, pelo quarto ano consecutivo, estarem recebendo o Natal Solidário, ação do Instituto Técnico de Educação, Esporte e Cidadania (Iteec Brasil), que neste quarto ano de ação contou com apoio do LIVRE Solidário.

Ano de dificuldade

A catadora de latinhas Ana Maria Izidoro, 67 anos, aproveitou o varal solidário, de doação de roupas, e levou os netos para ganhar brinquedos.

Agradecida, ela contou que os netos tinham apenas ganhado presente do serviço dela e ficaram muito felizes com a ação, que foi a única que encontrou neste ano de pandemia.

“Todo ano a gente ganha bastante as coisas, mas esse ano não ganhou, esse ano as ações foram mais paradas, pensei que não iria achar nada, por causa da doença, mas Deus abençoou que vocês vieram com a turma nesse dia. Então a gente agradece tudo que vocês estão fazendo”, disse a idosa.

Parceiros

A vendedora Solange, que é a Mamãe Noel do Natal Solidário, contou que neste ano os voluntários enfrentaram várias dificuldades.

Além da pandemia, que poderia impedir a ação de acontecer, o escritório do Iteec foi alvo de um incêndio na madrugada do dia 10 de dezembro, mas tudo só foi possível graças ao trabalho dos voluntários e às doações de empresas parceiras.

“Nós até pensamos em não fazer, tanto é que ano passado atendemos dois bairros e neste ano só um. Além do acidente que aconteceu no Iteec, devido à pandemia as doações ficaram muito escassas, então a gente achou que não iríamos dar conta, mas falei para o Cabral: ‘vamos nos esforçar, que unidos nós conseguimos fazer'”, contou Solange.

Foto: O Livre

O administrador Valteir Vieira Cabral, Papai Noel da ação e presidente do Iteec Brasil, inclusive fez questão de agradecer às empresas parceiras, como o LIVRE, a Datainfo Sistemas, a Toque de Mãe Bilíngue, a Tortorelli Imóveis, a Ecoville Cuiabá, a Movido Açaí, a Cheff Embalagens, a Loja Vila Kids, o Babacão Lanches, o Instituto Ação Verde, o Bazar do Sesc, o Papai Noel Pantaneiro Clóvis Matos e todos os inúmeros voluntários.

“Ninguém faz nada sozinho, o Instituto é apenas uma ferramenta de transformação. Tudo isso acontece graças às parcerias, e sem o apoio das empresas e pessoas que acreditam na ação nós não conseguiríamos fazer o Natal Solidário”, disse o Papai Noel.

Foto: Isabella Suzuki / O Livre

Doações

Neste ano os 50 voluntários levaram 600 brinquedos, mais de 600 peças de roupas, 400 cachorros-quentes e 600 refrigerantes para doação. A novidade, porém, ficou com as 400 mudas de plantas.

Além das ações sociais no dia das crianças e no Natal, o Iteec faz campanhas de sustentabilidade, sempre voltadas ao meio ambiente, como plantio de árvores, recuperação de nascentes e trabalho de conscientização ambiental o ano todo. A doação de plantas no Natal Solidário, então, veio para completar a ação.

“Primeiro nós queríamos trazer a alegria, o conforto pra família, depois um lanche, cachorro quente, brinquedos para as crianças, para as famílias, mas um marco histórico é a distribuição de mudas, que cada um poderá plantar em suas residências e ajudar Cuiabá a voltar a ser a Cuiabá verde, que nós sempre quisemos voltar a ter”, disse Valteir.

Foto: Isabella Suzuki / O Livre

O coveiro Lício Joilson da Penha Filho, 31 anos, fez questão de pegar mudas de caju, tamarindo e figueira pequena para plantar na porta de casa, para que futuramente as plantas façam sombra e deem frutos para seus filhos comerem.

Ele acredita que cuidando do meio ambiente está dando um bom exemplo para o filho Talison, de três anos.

“A palavra de Deus fala que você deve instruir seu filho no caminho onde se deve andar, se a gente andar torto, ele vai andar torto, se a gente andar direito, ele vai seguir o nosso exemplo. Se ele me vir cuidando da natureza vai ser um bom exemplo de vida”, disse Joilson ao LIVRE.

O pequeno Talison, sua muda de planta e o Papai Noel Foto: (Karina Cabral / O Livre)

Gratidão

Para o presidente do Iteec, a ação em um ano de pandemia é ainda mais importante, pois é nesse momento que as famílias carentes mais precisam.

“Principalmente nos momentos difíceis é que a ação social é importante, nesse momento de pandemia em que as pessoas se afastam, nós buscamos juntar, com segurança, para trazer alegria às famílias e à criançada, que às vezes não têm condições nem de comer e fazer seu café da manhã”, disse.

Foto: Isabella Suzuki / O Livre

Para manter a segurança, os voluntários estavam todos de máscaras e luvas e havia álcool em gel à disposição.

Para a Mamãe Noel Solange, poder participar da ação é mais gratificando para quem doa do que para quem recebe.

“A gente sabe que tem famílias que vivem em condições precárias, que não tem nem uma alimentação. Eu moro aqui no bairro, então é uma forma de eu devolver para o local que eu vivo. Para nós é a gratificação de poder fazer um Natal mais feliz para essas famílias carentes, então quem ganha mais somos nós, que praticamos essa ação, não eles que recebem. É isso: a palavra que fica é gratidão”, disse Solange.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMédia de mortes diárias por covid-19 no Brasil chega a 736,43
Próximo artigoCovid-19: começa hoje restrição de voos vindos do Reino Unido