Pantanal: menos incêndios, mas altas temperaturas e estiagem causam preocupação

Redução está relacionada com o tempo de resposta e a menor proporção dos danos

Um levantamento feito a partir da plataforma BDQueimadas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e imagens do satélite Sentinel-2 mostrou que houve a redução de 92,3% nas áreas queimadas no Pantanal Mato-grossense este ano em relação ao mesmo período do ano passado.

A porcentagem é positiva, porém foi registrada em um cenário pra lá de preocupante. Nessa terça-feira (24) os termômetros chegaram a registrar 41ºC na região e as altas temperaturas estão persistindo durante todo mês de agosto. Uma mudança climática que vem acompanhado do aumento das ocorrências, que apesar de muitas não atingiram as mesmas proporções das do ano passado.

Segundo dados da Central de Monitoramento via satélite, realizado mensalmente pelo Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso (CBMMT), entre 01 de janeiro a 23 de agosto de 2020, foram contabilizados 3.773 focos. No mesmo período de 2021, apenas 344 focos de calor foram detectados na vegetação pantaneira.

No primeiro semestre de 2021, 70 mil hectares foram consumidos pelo fogo em área de vegetação no Pantanal. Em 2020, durante o período de estiagem, foram 950 mil hectares de área atingida pelo fogo.

Para o Corpo de Bombeiros o bom resultado é resultado do trabalho preventivo e da redução do tempo de resposta.

LEIAM TAMBÉM:

(Com informações da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPF e CGU deflagram operação de combate a crimes em prefeitura de MT
Próximo artigoPrefeitura convoca contratados