Pandemia: 44% das crianças e adolescentes se sentem mais tristes

Pesquisa avaliou além dos sentimentos, a segurança alimentar e o uso de aparelhos eletrônicos por crianças e adolescentes

(Foto: Pixabay)

Quase 100% das crianças brasileiras tiveram alguma mudança no comportamento durante a pandemia de covid-19. Os números são de uma pesquisa feita Fundação Lemann em parceria com o Instituto Natura.

A pesquisa ouviu 1.315 mil responsáveis por mais de 2,1 mil crianças e adolescentes (4 a 18 anos) de todo o Brasil, entre 16 de junho e 7 de julho de 2021. O estudo também entrevistou 218 jovens entre 10 e 15 anos.

Segundo os pais e responsáveis, 56% ganharam peso, 44% se sentiram tristes, 38% ficaram com mais medo e 34% perderam o interesse pela escola.

LEIA TAMBÉM

Quando avaliadas, as crianças e adolescentes de famílias com renda menor (até dois salários mínimos), 59% tiveram ganho de peso, 51% passaram a dormir mais, 48% ficaram mais agitados, 46% ficaram mais tristes, e 35% perderam o interesse pela escola.

Comida

No quesito segurança alimentar, 34% das famílias afirmaram que a quantidade de comida foi menos que o suficiente, com destaque para as famílias do Nordeste (46%) e do Sul (18%).

(Foto: Arquivo)

A pesquisa também mostrou que as refeições das crianças e adolescentes eram melhores antes da pandemia: 81% dos pais disseram que era ótima ou boa. Atualmente, o índice  caiu para 74%. Entre os que consideram a alimentação regular, a taxa aumentou de 16% para 23%; e o ruim se manteve estável em 2%.

Mais tempo nos eletrônicos

De acordo com a pesquisa, 10% das crianças e dos jovens passam o dia na casa de outras pessoas, metade deles na residência dos avós.

Dos 90% que ficam na casa de seus responsáveis (pai, mãe, madrasta e/ou padrasto), 14% permanecem sozinhos no local ou apenas com irmãos, sem adultos responsáveis.

A pesquisa também mostrou que a rotina de atividades em casa mudou: 37% das crianças e adolescentes estão jogando videogame ou usando o celular com mais frequência do que antes da covid-19 e 43% aumentaram as horas de TV.

(Com Agência Brasil)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMercado financeiro eleva projeção da inflação para 6,88% este ano
Próximo artigoVoto impresso: senadores de MT são a favor de auditoria e deputados estão divididos