Palestra “Desmistificando a Ansiedade”: o lado bom e o lado ruim, segundo os médicos

Os médicos Lucas Loureiro e Luciana Arcos argumentam que a ansiedade pode ser uma grande aliada

Da esquerda para a direita, o realizador Marco Túlio Ribeiro, o Dr. Lucas Loureiro e a Dr.ª Luciana Arcos contribuindo para "desmistificar" a ansiedade (Foto: Luiz Felipe Costa)

Imagina se seu chefe te dissesse: “Precisamos conversar amanhã!”

Você dormiria tranquilo ou passaria a noite em claro pensando sobre a possível contenda? Se seu caso é o último, pode ser que a ansiedade seja sua “má companheira”.

E com esse exemplo os cuiabanos foram convidados à palestra “Desmistificando a Ansiedade”, realizada na noite de 15 de dezembro no Bateras Beat Cuiabá – Unidade Centro.

O Evento

Os palestrantes foram os médicos Dr. Lucas Loureiro e a psiquiatra Dr.ª Luciana Arcos. Ambos marcam forte presença nas redes sociais, falando sobre diversos temas relacionados à saúde mental, inclusive ansiedade.

Num ambiente familiar e aconchegante, o realizador do evento Marco Túlio Ribeiro deu o pontapé inicial nas atividades da noite. Segundo ele, a palestra ocorreu ao final do ano por ser uma época em que muitas pessoas fazem promessas demais: entrar na academia, aprender um novo idioma, entre outras. Isso acaba gerando ansiedade, pois esses “sonhadores” colocam excesso de peso sobre seus próprios ombros.

“Há quem diga que os objetivos de 2022 são concluir os de 2019 – ou os de 2015”, disse Ribeiro em seu discurso de abertura.

Dr. Lucas Loureiro

O Dr. Lucas Loureiro abriu a rodada de palestras diferenciando a ansiedade normal da ansiedade ruim. “Tem gente que não consegue controlar a ansiedade – sua muito antes de uma prova, por exemplo, e não consegue fazê-la bem”, lembrou Loureiro. Esse seria o tipo de ansiedade ruim.

Segundo o médico, a ansiedade normal é aquela que se sente, mas que não paralisa a pessoa, não a deixa presa. Ela consegue realizar suas tarefas normalmente, apesar do que está sentindo.

O Dr. Loureiro apontou a necessidade de se fazer exercícios físicos e de se ter noites bem dormidas para que os problemas relacionados à ansiedade sejam controlados.

Dr.ª Luciana Arcos

A psiquiatra Luciana Arcos mostrou que a ansiedade pode ser uma aliada (Foto: Luiz Felipe Costa)

Quando a Dr.ª Luciana Arcos tomou a palavra, todos se assustaram, pois ela começou a se lamentar e a reclamar daquele momento. “Eu não estou me sentindo bem. Eu não queria estar aqui. Será que vocês estão me julgando?”, indagou a psiquiatra.

Porém, o público percebeu que aquilo era apenas a representação perfeita de uma pessoa ansiosa. Quem sofre de ansiedade costuma pensar muito naquilo que pode acontecer de ruim após uma decisão tomada.

Por exemplo: a pessoa pensa que, se ela falar em público, será julgada de maneira ruim ou vai errar nas palavras ou será atacada por sudorese ou por uma severa dor de barriga… Por vezes, esse tipo de conjuntura sequer ocorre.

Continuando, a médica ressaltou, como faz em seus vídeos nas redes sociais, que a ansiedade e o medo gerado por ela podem ser aliados, como eram para os homens das cavernas, sempre atentos, enquanto caçavam para sua própria subsistência, aos possíveis ataques de animais selvagens.

Concluindo a palestra

Após os médicos entregarem o microfone, o público pode compartilhar suas histórias e fazer perguntas aos profissionais. Deixaram ali alguns de seus medos e de suas angústias em relação à ansiedade. Alguns até se identificaram como ansiosos, dizendo que, dali para a frente, seria mais fácil lidar com o problema, pois passaram a identificá-lo.

O evento “Desmistificando a Ansiedade” mostrou que a ansiedade, também chamada de “mal do século”, na verdade pode ser uma grande amiga, ajudando a sair de situações de risco. Porém, se os limites da normalidade forem ultrapassados, os médicos palestrantes deixaram muito claro que não é necessário se preocupar tanto, mas que se deve buscar ajuda.

E qual seria essa ajuda?

Uma boa terapia com um bom profissional.

(Foto: Luiz Felipe Costa)

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorQueda de 90% em mortes
Próximo artigoMédica Nise Yamaguchi anuncia pré-candidatura ao Senado por SP