Palestrantes debatem mitos sobre o uso de defensivos agrícolas

Para Xico Graziano, levar conhecimento à sociedade é a melhor forma de combater notícias falsas

O 4º ciclo de palestras da Associação dos Engenheiros Agrônomos da Grande Rondonópolis (Aeagro) fará mais uma vez parte da programação da Feira de Tecnologia Agrícola e Pecuária de Rondonópolis, a Vitrine Agropec na 47ª Exposul, no dia 06 de agosto, a partir das 14h, no salão Adolfo Thadeu Vieira.

Nesta edição, o tema será Manejo Integrado de Tecnologias e terá como palestrantes convidados, o engenheiro agrônomo Xico Graziano e o médico Dr. Ângelo Zanaga Trapé. Os estudiosos vão discorrer sobre os mitos e verdades relacionados ao uso dos defensivos.

Para Xico Graziano, a melhor forma de combater fake news sobre agrotóxicos ou pesticidas é o conhecimento científico e esclarecimento a sociedade. “As pessoas não precisam concordar sobre tudo. As discórdias, porém, devem estar embasadas nos dados da realidade e, sempre que possível amparadas pelo conhecimento científico”, disse.

O Dr. Ângelo Zanaga Trapé também corrobora com a afirmação de Xico Graziano , inclusive Trapé esteve à frente de um projeto com a Aprosoja Brasil, onde acompanhou 960 produtores no MT analisando possíveis contaminações com agrotóxicos. Esse projeto foi de 2016 até 2018 e estão divulgando os resultados agora, inclusive internacionalmente.

“A falta de dados e a desinformação criam o ambiente propício para a disseminação de informações equivocadas para toda sociedade, como se o agronegócio fosse gerador de alimentos contaminados, agressor ambiental e causador de efeitos prejudiciais na saúde das populações seja consumidora como trabalhadora. Aqui perde a Ciência e ganha a Ideologia”, concluiu.

Os interessados em participar do 4º ciclo de palestras da Aegro basta acessar o link: http://www.eventosaeagro.com.br/site/

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAinda sobre a Califórnia: o que não contaram sobre o 1% de risco
Próximo artigoSTF “aprova” empréstimo