Padre mártir da Guerra Civil Espanhola será beatificado

O lema da beatificação será: “Vossa Graça vale mais que a vida”

Padre Cayetano Giménez Martínez, mártir da perseguição religiosa da Guerra Civil Espanhola (Fonte: InfoCatólica)

No próximo dia 26 de fevereiro, na Catedral da Arquidiocese de Granada, Espanha, 16 mártires da perseguição religiosa durante a Guerra Civil Espanhola (1936-1939) serão beatificados. O grupo de futuros beatos é composto por um seminarista, um leigo e 14 sacerdotes. Dentre os religiosos, o Padre Cayetano Giménez Martínez. As informações são da ACI Digital.

Nascido em Alfornón, Granada, no dia 27 de novembro de 1866, o presbítero Gimenez era conhecido por ser  “um padre devoto, austero e caridoso”, segundo a Arquidiocese de Granada.

“Um bom, sábio, humilde e prudente ministro do Senhor, um idoso de aspecto pacífico e venerável. Um homem de paz. Seus paroquianos viam que o servo de Deus era um apaixonado pela Eucaristia, que passava grandes momentos de adoração diante do Sacrário”, continuou a nota.

O martírio do Padre Gimenez

Padre Giménez viveu e serviu a Deus em Loja, Granada, por quase toda sua vida, segundo a ACI Digital. No início da Guerra Civil Espanhola, 23 de julho de 1936, o sacerdote teve a chance de fugir do local num caminhão, mas decidiu ficar e honrar sua Paróquia. A igreja principal foi incendiada logo em seguida.

Ele, então, foi se esconder na casa de um amigo médico. Porém, seu esconderijo foi logo descoberto. Pouco depois, o sacerdote foi preso. Ficou na cadeia por três dias até ser transferido para o cemitério de Loja com outras seis pessoas. Ali, o servo de Deus seria fuzilado.

O religioso pediu para morrer por último, pois, desta forma, daria a absolvição a cada um de seus colegas para que alcançassem a Glória Eterna. Quando chegou sua vez, Padre Giménez morreu com um grito em honra ao Senhor Jesus: Viva Cristo Rei!

Nas palavras de Tertuliano, “o sangue dos mártires é semente dos cristãos”. Diante da integridade do Padre Giménez, os assassinos, tocados pelo ato heroico, voltaram à cidade exclamando: “Olha o velho! Que coragem teve!”.

Devido ao martírio desses 16 católicos, o lema da beatificação será “Vossa Graça vale mais que a vida”.

Padre Giménez foi assassinado aos seus 69 anos. Seus restos mortais estão no cemitério de Loja, sem identificação.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior“Exigência legal”: MP diz que cinema pode cobrar comprovante de vacinação
Próximo artigoBolsonaro visita o Nordeste para entregar obras do rio São Francisco