Padrasto bloqueia porta do quarto e mata três crianças em incêndio

As crianças tinham 4, 5 e 7 anos. A mãe estava no banheiro e, por ter inalado fumaça, seu estado de saúde é grave

Imagem Ilustrativa (Foto: Pixabay)

Um homem de 36 anos está sendo acusado de ter matado três crianças propositalmente em um incêndio. O crime ocorreu em Paraty, no Rio de Janeiro, e a prisão dele foi decretada nesta segunda-feira (27).

A investigação da polícia técnica apontou que ele ateou fogo a um colchão posicionado na porta do quarto onde as crianças dormiam.

A mãe das crianças estava no banheiro no momento do crime e não foi atingida pelo fogo. Ela, no entanto, inalou muita fumaça e seu estado de saúde é considerado grave.

O suspeito é padrasto das crianças e foi preso ainda na sexta-feira (24), quando os corpos foram encontrados na casa.

Os depoimentos dos avós e de vizinhos foram fundamentais para que a polícia chegasse ao acusado pelo assassinato.

Uma das avós contou que, quando as crianças iam para sua casa, não queriam sair de lá devido ao comportamento agressivo do padrasto. Ele morava com a mãe das crianças há menos de dois meses.

A prisão em flagrante foi convertida em preventiva, segundo a Justiça, para garantir a ordem pública e assegurar a aplicação da lei penal.

De acordo com o juiz Marco Aurélio Adania, há indícios suficientes de autoria do crime por parte do acusado.

O homem vai responder pelos crimes de homicídio consumado contra as crianças (de 4, 5 e 7 anos) e tentativa de feminicídio contra a companheira, além da prática de crime de incêndio.

Devido à repercussão do caso e ao fato de ele ter prestado depoimento se dizendo ameaçado pelos outros presos, o magistrado determinou que fique em uma cela separada na penitenciária.

(Com Agência Brasil)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGreve geral: enfermeiros do pronto-socorro de Várzea Grande cobram reajuste nos salários
Próximo artigoMP acusa Silval de forjar venda de gado para “lavar” dinheiro de propina