Pacto contra aglomeração: empresários tentam evitar fechamento de bares e restaurantes

Donos de bares e restaurantes firmam compromisso de seguir normas de biossegurança

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre )

Representantes das prefeituras de Cuiabá e Várzea Grande, do governo do Estado e da Assembleia Legislativa de Mato Grosso receberam em mãos um termo de compromisso do cumprimento das medidas de biossegurança de combate à covid de empresários do setor de alimentação fora do lar – bares, restaurantes e afins.

O documento será acompanhado de ações práticas de conscientização do donos de empreendimentos e também dos frequentadores dos locais, tudo realizado pelas entidades ligadas ao setor – Abrasel-MT (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes em Mato Grosso) e SHRBS-MT (Sindicato dos Hoteis, Restaurantes, Bares e Similares de Mato Grosso).

A medida é uma tentativa de evitar que sejam publicados novos decretos governamentais como regras mais rígidas que as atuais e limitando os horários e as formas de funcionamento. Desde o começo da pandemia, segundo a Abrasel, 40% dos estabelecimentos do setor encerraram as atividades.

Presidente da Abrasel, Lorena Bezerra, diz que os irregulares devem ser multados. (Foto: Ednilson Aguiar/O Livre )

A presidente da Abrasel, Lorena Bezerra, fez um apelo durante a reunião por conta dos desemprego que aflige quem atua no setor. Ela explicou que, sem vender, não há como se manter funcionários, o que aumenta ainda mais a crise econômica na cidade.

Ele argumentou que muitos falam da alternativa do atendimento por entrega. Contudo, a operação de um serviço como esse demanda investimentos e o sucesso depende do perfil do público e da região onde o comércio está instalado.

Outro ponto abordado por Bezerra foi o uso de redes sociais para a postagem de vídeos de áreas onde há a concentração de restaurantes, como a Praça Popular.

Eles pegam o exemplo de um para estender a restrição aos demais, que estão fazendo tudo certinho. Então, somos favoráveis a multas e penalidades para quem não está cumprindo as regas. É uma forma de manter os demais trabalhando, já que a maior parte não tem perfil de lugar com aglomerações”, ressaltou.

Redução de impostos ajuda, mas não resolve

Na reunião de entrega do termo de compromisso, estavam presentes o secretário de Estado de Cultura, Esporte e Lazer, Alberto Marchado, o deputado estadual Carlos Avalone, o secretário de Ordem Pública de Cuiabá, Leovaldo Sales, e Alessandro Ferreira da Silva, que acumula superintendência da Vigilância Sanitária e a Secretaria Municipal de Governo de Várzea Grande.

Secretário Alberto Machado, que também é empresário do setor, representou governo na reunião(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre )

Todos eles citaram ações relativas à prorrogação do pagamento de impostos, como IPTU e recentemente o IPVA, como medidas de ajuda ao setor. Contudo, concordaram que não é o suficiente para garantir o funcionamento dos estabelecimentos.

O secretário Alberto Machado disse – com conhecimento de causa, pois é proprietário de um pizzaria – que a coisa não está fácil e que está se esforçando para ampliar o diálogo e implementar políticas públicas de auxílio.

Para Avalone, a grande dificuldade de se ofertar auxílio é a burocracia. Ele diz que o Brasil tem uma alta complexidade no andamentos dos processo e citou como exemplo os recursos encaminhados para a agência de fomento do Estado, a Desenvolve, para ser distribuídos em financiamentos para o setor.

Uma minoria dos bares gera aglomeração, segundo Abrasel (Foto: Reprodução/Agência Brasil)

“Primeiro precisavam do dinheiro e colocamos lá. Depois, veio uma série de normas do Bacen para a concessão dos valores e, para ficar mais fácil o acesso, será preciso um fundo garantidor. Porém, temos que enfrentar uma nova burocracia para instaurar este fundo”, explica.

Ações

As ações proposta pela Abrasel-MT e SHRBS-MT contemplam uma blitz de conscientização e também auxílio na fiscalização dos pontos, bem como o oferecimento de esclarecimentos para empresários que necessitarem.

O trabalho começa a ser realizado amanhã. Vale lembrar que os horários de funcionamentos dos estabelecimentos em Cuiabá e Várzea Grande são: entre segunda é sábado até às 22h e domingo até às 15h.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior297 atividades econômicas não precisam mais de alvará em MT
Próximo artigoRota das Águas: plataforma mapeia 230 atrativos naturais de Mato Grosso