Os réus estão liberados, em parte

A Justiça Militar revogou medidas cautelares impostas a réus do caso do grampos ilegais

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Réus na ação penal referente ao caso dos grampos ilegais, conhecido como “Grampolândia Pantaneira”, os coronéis Zaqueu Barbosa, Evandro Lesco e Ronelson Barros, e o cabo da Polícia Militar, Gerson Luiz Ferreira Corrêa Junior, foram liberados, em julgamento nesta sexta-feira (14), de algumas obrigações impostas pela Justiça Militar.

Foram revogadas as medidas cautelas que impunham os réus o uso de tornozeleira eletrônica, recolhimento noturno e nos fins de semana, comparecimento mensal em juízo e de adentrar em repartições públicas. No caso do cabo, também foi retirada a obrigação de dormir no batalhão.

Com isso, os quatro poderão voltar a trabalhar normalmente na Polícia Militar, pelo menos, até o julgamento do caso, marcado para março de 2019. Eles continuam impedidos, contudo, de se ausentar da Grande Cuiabá sem autorização judicial.

A decisão do juiz titular da 11ª Vara Militar do Fórum de Cuiabá, Marcos Faleiros, foi acompanhada por unanimidade pelo Conselho de Sentença, formado por quatro coronéis.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAntonio Borges quebra tradição e é eleito procurador-geral por um voto
Próximo artigoO MDB está fora

O LIVRE ADS