Orquestra Ciranda Mundo abre temporada com peça e instrumento inéditos

A apresentação celebra 15 anos do Instituto Ciranda em Mato Grosso, no Teatro Zulmira Canavarros, com entrada a 1kg de alimento

A Orquestra Sinfônica Ciranda Mundo celebra os 15 anos do “Instituto Ciranda – Música e Cidadania” e abre a temporada 2018 nesta quarta-feira (28). Sob a regência de Murilo Alves, os músicos apresentam repertório clássico que conta com composição exclusiva para a data e destaque à solista da noite, Jessica Gubert na clarineta. Será às 20h, no Teatro do Cerrado Zulmira Canavarros, com entrada a 1 quilo de alimento.

O concerto comemorativo estreia Revoada, peça escrita especialmente para noite. Comissionada ao jovem compositor paulista Bruno Avoglia, a composição será apresentada ao público através de um violino tão exclusivo quanto – inteiramente construído em Mato Grosso pelo luthier capixaba Vinícius Fachinetti e talvez o primeiro em moldes, segundo informações da assessoria.

Concerto dará destaque a clarinetista Jessica Gubert, solista da noite.

“Trata-se de um violino confeccionado com técnicas da escola italiana, com madeira europeia, inspirado nas curvas do famoso Estradivário. É um instrumento que simboliza os 15 anos do Ciranda, feito no Ciranda e para o Ciranda. Curiosamente, também comemoro 15 anos de luthieria este ano, o que me deixou ainda mais empolgado”, explica seu autor.

Fachinetti adianta ainda que deixará os últimos reparos e acabamento do instrumento para o foyer do teatro, na noite do espetáculo. “Assim o público poderá ver de perto uma parte do processo de construção do violino que será apresentado oficialmente no palco, soando junto com toda a orquestra”.

Luthier capixaba Vinícius Fachinetti

O repertório ainda conta com abertura de Guilherme Tell, do italiano Gioachino Rossini, o Concerto para Clarineta n°1, Op.73, do alemão Carl Maria von Weber e o Capricho Espanhol, do russo Nikolai Rimsky-Korsakov.

Para interpreta-lo sobem ao palco os instrumentistas que mais se destacam em seus instrumentos, acompanhado de seus metres. Jovens instrumentistas bolsistas de seis polos de ensino espalhados pelo Estado estarão também na plateia, vindos de Campo Verde, Chapada do Guimarães e Várzea Grande, além, é claro, de estudantes que integram os polos de Cuiabá.

15 anos de expansão

Maestro Murilo Alves

Com polos de ensino em Cuiabá (bairros Boa Esperança e Dr. Fábio), Campo Verde e Várzea Grande (Cristo Rei), o Instituto Ciranda consolida este ano seu programa de expansão com duas novas escolas nas comunidades de João Carro e Água Fria, em Chapada dos Guimarães. Serão mais 140 alunos atendidos nas duas comunidades, graças ao apoio da Prefeitura de Chapada do Guimarães e do patrocínio de Furnas Centrais Elétricas.

“Este ano o Ciranda passa a atender mais de 500 jovens estudantes de música em importantes regiões de Mato Grosso. Desde sua criação, em 2003, a instituição vem, ano após ano, transformando vidas ao tempo em que forma novas plateias, novos instrumentistas, professores e cidadãos de bem”, comemora o maestro Murilo Alves, presidente do Instituto.

Parte das primeiras gerações de instrumentistas formada pelo Instituto (há mais de dez anos), hoje, ensina para novas gerações de músicos, teoria e técnicas, leitura de partituras e prática em conjunto. Dentre as atividades regulares, até mesmo a ausência de professores de instrumentos de orquestra, como o oboé, fagote e trompa, é sanada com profissionais que vêm de grandes centros brasileiros.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorConfira as oportunidades de trabalho desta semana oferecidas pelo Sine de Cuiabá
Próximo artigoPeixoto seleciona estagiários de Direito