Operação Zircônia: Gaeco cumpre mandados de prisão contra sócios que emitiam diplomas falsos

Segunda fase da operação apura crimes de organização criminosa, estelionato, falsificação e embaraço às investigações

(Foto: Freepik)

O Ministério Público de Mato Grosso, por meio do Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco), deflagrou nesta quinta-feira (8) a segunda fase da Operação Zircônia, que investiga a emissão de diplomas de graduação falsos.

A operação espera cumprir cinco mandados judiciais, incluindo prisões, em Cuiabá e Várzea Grande. As ordens judiciais foram expedidas pela 7ª Vara Criminal da Capital.

Estão sendo apurados os crimes de organização criminosa, estelionato, falsificação e uso de documentos públicos falsos e embaraço à investigação.

O grupo criminoso oferta, ministra cursos de graduação, confecciona históricos escolares e concede diplomas a estudantes, tudo sem autorização do Ministério da Educação (MEC).

LEIA TAMBÉM

De acordo com o Gaeco, as três instituições investigadas estão com as atividades suspensas por determinação judicial.

Dos cinco mandados judiciais expedidos, três são de prisão preventiva em face dos sócios das instituições de ensino investigadas, um refere-se a busca e apreensão domiciliar e o outro de intimação para audiência de justificação.

A operação recebeu esse nome porque a zircônia é uma pedra muito parecida com o diamante. É difícil identificar a diferença entre elas, se você não for um especialistas no assunto.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDoze pessoas são autuadas por participação em incêndio a viatura de delegacia
Próximo artigoPrefeito de Cuiabá diz que escolas serão abertas após vacinação de professores