Operação Red Money: Justiça condena 24 pessoas por lavagem de dinheiro

Em pouco mais de 3 meses, quadrilha movimentou R$ 775 mil, entre saídas e entradas, em sua grande maioria, sem identificação do depositante

Foto: Ednilson Aguiar/O Livre

A Justiça condenou 24 pessoas pelo crime de lavagem de dinheiro em esquema desmantelado na operação Red Money. Os acusados respondem também pelo crime de integração de organização criminosa.

A sentença foi proferida pela juíza Ana Cristina Silva Mendes da Vara Especializada Contra o Crime Organizado, os Crimes Contra a Ordem Tributária e Econômica e os Crimes Contra a Administração Pública.

A decisão foi publicada no Diário de Justiça Eletrônico (DJE) dessa segunda-feira (18).

A magistrada relembrou que a denúncia oferecida pelo Ministério Público Estadual apontou a existência de um “núcleo da movimentação financeira da Organização Criminosa” e, 89 pessoas integravam esse esquema.

O núcleo era dividido ainda em três ramificações, sendo elas o núcleo de liderança, intermediário e base. Os líderes eram aqueles com mais proximidade de membros da alta cúpula do Comando Vermelho.

Empresa de fachada

Jonas Souza Gonçalves Júnior e a esposa dele, Jennifer Lemes da Silva, de acordo com o MPE, integravam o núcleo liderança e chegaram, inclusive, a abrir um empresa de informática para realizar a movimentação financeira.

Entre 3 de fevereiro de 2017 a 30 de maio do mesmo ano, foi constatada uma movimentação de R$ 775 mil, entre saídas e entradas, em sua grande maioria, sem identificação do depositante.

A promotoria estima, contudo, que as operações financeiras realizadas pelo núcleo de liderança ultrapasse a cifra de R$ 5 milhões, provenientes do tráfico de drogas e de armas.

As movimentações também contavam com as contas de terceiros. Por isso, o grupo era tão extenso. Em síntese era uma organização criminosa que fazia a lavagem do dinheiro para a facção.

Condenações

Foram condenadas 24 pessoas e as penas variam entre 14 e 4 anos de prisão. Adilson da Silva Bispo e Fabiana de Andrade foram os únicos sentenciados ao menor tempo de prisão e o regime de cumprimento de pena é o aberto.

Jonas foi condenado a 14 anos de prisão e Jeniffer a 12, em regime fechado. A lista dos acusados têm ainda Jonatan Venício Lemes Silva (12 anos de prisão), Francisco Soares Lacerda (14 anos), Bruna Cristina Borges dos Santos (11 anos), Deikson Conceição de Magalhães (14 anos), Michel da Silva (12 anos), Leicemir Baconepa de Lara (14 anos), Ulisses Batista da Silva (11 anos), Rafael Dhiego Gorget Camargo (14 anos), Paulo Witer Farias Paelo (14 anos), Cristiane Patrícia Rosa Prins (10 anos), Hamilton Schneider da Costa Filho (14 anos), Dayanne Salvador Vieira (14 anos), Adriano Mendes Souza (14 anos), Paulo Cesar Rosa (14 anos), Juliano Pistorio (12 anos), Ednilson Cândido dos Santos (10 anos), Nelson da Silva Júnior (10 anos), Elaine Cristina Pereira da Silva (10 anos), Andréia Cristina Brito Alves (14 anos) e Aldemir de Assis Campos (14 anos).

LEIA TAMBÉM

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVÍDEO | Mulher é atacada por cachorros de idosa para quem trabalha
Próximo artigo“Não se pode perseguir alguém por não tomar vacina”, diz Bolsonaro